Atualizado em

Em nossa última passagem pelas terras italianas fomos até o Norte do país conhecer a região dos Alpes. Passamos por lugares incríveis, vilarejos apaixonantes e lagos que adjetivo nenhum é capaz de descrever. Fizemos um roteiro pelas Dolomitas e vamos contar tudo sobre a nossa viagem de carro nas montanhas mais bonitas da Itália. Nesse post você verá onde ficamos hospedados, quantos dias ficamos em cada cidade e o que fizemos dia-a-dia na região.

Dolomitas Montanhas da Itália
Montanhas da Itália vistas da estrada

Planejando o nosso roteiro pelas Dolomitas

Quando estávamos planejando o nosso roteiro pelas Dolomitas a primeira dúvida que nós veio à cabeça foi se valeria realmente a pena conhecer a região durante a baixa temporada. Como iríamos em Novembro, muitos lugares estariam fechados, incluindo hotéis e restaurantes. Por outro lado, as trilhas estariam mais vazias, assim como os lagos mais famosos. Então, decidimos que iríamos assim mesmo e foi a melhor escolha que fizemos! Para saber tudo sobre as Dolomitas – o que fazer, melhor época pra ir, as melhores cidades para montar base – confira o nosso post Dolomitas, tudo o que você precisa saber sobre os Alpes Italianos.

San Martino di Castrozza Italia Dolomitas
Um dos vilarejos das Dolomitas completamente vazio, sem ninguém…

Chegamos na Itália através do aeroporto de Milão. Alugamos um carro com a RentCars, ainda no Brasil, e demos início ao nosso roteiro. Outras duas cidades que também são excelentes pontos de partida para essa viagem são Veneza e Treviso, então, vale a pena considerá-las na hora de montar o seu planejamento. Entretanto, Treviso costuma receber somente voos internos de companhias low costs. Uma outra opção é começar o seu roteiro saindo da Áustria, mais precisamente de Innsbruck. Como os Alpes da Itália ficam na fronteira com o país, há trens e ônibus saindo da cidade austríaca. Caso você tenha dúvidas em relação a essa logística, explicamos tudo nesse post aqui.

Duração do nosso roteiro nas montanhas da Itália

Nós ficamos 11 noites pela região e te digo com toda certeza do mundo que ficaríamos mais! haha. É claro que também dá pra fazer em menos tempo. Mas se você quer conhecer tudo com o mínimo de calma, fique pelo menos uns 5 ou 6 dias por lá. No entanto, se você pretende encaixar a qualquer custo um pedacinho dessas montanhas italianas na sua viagem, considere pelo menos duas noites em alguma das cidades mais centrais.

Segue abaixo como foi a nossa logística e distribuição de dias em cada lugar. Caso você queira, pode clicar diretamente em cima da cidade desejada e a página rolará até o ponto de leitura.

Trento – 2 noites

Selva di Cadore – 1 noite

Cortina d’Ampezzo – 4 noites

Val di Funes – 1 noite

Bolzano – 3 noites

Hospedagem em cada cidade

Nosso roteiro pelas Dolomitas dia-a-dia

Dia 1 – Rival del Garda e Trento, o primeiro pernoite em nosso roteiro pelas Dolomitas

Chegamos em Milão, no Aeroporto de Malpensa, e fomos direto retirar o carro. Não tivemos problema nenhum nesse processo e em pouco tempo já estávamos na estrada. Nossa primeira noite seria em Trento, mas antes paramos em Riva del Garda para passar a tarde e conhecer o Lago di Garda. A viagem dura cerca de 2h30min e a estrada é tranquila, porém com pedágio. Conforme nos aproximamos da região do Lago di Garda, a paisagem já muda completamente. O cenário beirando o lago nos convida a uma viagem pelos vilarejos em seu entorno. Talvez em um próximo roteiro pela Itália, quem sabe?

Lago di Garda
Fim de tarde no Lago di Garda

Rival del Garda é uma delícia e o Lago di Garda é um espetáculo a parte, principalmente em um fim de tarde. Por isso, eles merecem um post só pra eles e em breve faremos isso. Após caminharmos bastante pela orla do lago e pelas ruas da cidade, seguimos em direção a Trento, em um percurso que durou em torno de 45min. Como chegamos por lá praticamente a noite, nos limitamos a passar no supermercado e fazer check in no hotel. Trento é a capital da região do Trentino-Alto Ádige e é uma cidade grande em si. Mas, finalmente, já estávamos nas Dolomitas!

Riva del Garda Italy
Ruas de Riva del Garda

Dia 2 – Trento e Lago di Tenno

Acordamos bem cedo para conhecer o primeiro lago do nosso roteiro pelas Dolomitas. Deu menos de 1h até o Lago di Tenno e a estrada até lá era um anúncio da viagem incrível que estava por vir. Havia montanhas por todos os lados e as folhinhas de outono para acompanhar. Coisa mais linda da vida! O lago possui estacionamento, área para caminhada, mesas para piquenique e um espelho d’água de respeito. Contamos tudo sobre ele no post Lago di Tenno, uma pérola na região de Trentino-Alto Ádige, nos Alpes Italianos. Inicialmente, também visitaríamos o Lago di Tovel nessa viagem, mas devido às chuvas que assolaram o país antes de chegarmos, a estrada até ele estava interditada.

Lago di Tenno Italia Dolomitas
Lago di Tenno

A cidade de Trento

Passamos o restante do dia conhecendo Trento. Andamos praticamente toda a cidade a pé e super recomendo que você faça o mesmo. Passeie pele centro histórico e pela Piazza del Duomo, conheça o Castello del Buonconsiglio e perca pelas ruas ainda medievais. Damos todas as dicas de Trento no post O que fazer em Trento, na Itália: passeios na cidade e nos arredores

Trento Itália
Ruas medievais de Trento

Dia 3 – Fiera di Primiero, San Martino di Castrozza, Lago di Allegue e Selva di Cadore

Esse dia seria longo, então, pulamos da cama bem cedo para não perdermos nenhum detalhe. Era o dia de subir mais um pouco pelos vilarejos encravados nas montanhas da Itália. Aqui, de fato, começaríamos muito mais a estar cercados pelas Dolomitas do que qualquer outra coisa. Nossa primeira parada foi em Fiera di Primiero, uma comuna italiana beeeem pequenininha, com pouco mais de 500 habitantes. O lugar é uma gracinha, cercado por montanhas nevadas (isso é padrão na região! haha) e muito procurado para esquiar. De Trento até lá são 1h30min de estrada.

Fiera di Primiero
Fiera di Primiero

Em seguida, continuamos nosso roteiro pelas Dolomitas até San Martino di Castrozza, outro vilarejo alpino apaixonante distante em torno de 20 minutos de Fiera di Primiero. San Martino também é bem pequena e em pouco tempo você conhece tudo. Também é outro lugar muito procurado por aqueles que curtem esportes de neve. Em breve faremos um post sobre os dois lugares, indicando o que visitar em cada um.

San Martino di Castrozza Dolomitas
San Martino di Castrozza

Lago di Alleghe

Nosso destino final do dia era Selva di Cadore, onde faríamos um pit stop para dormir antes de continuarmos o nosso roteiro pelas Dolomitas. Mas antes, fizemos uma parada em Alleghe, um outro vilarejo nas montanhas da Itália. Paramos apenas para conhecer o Lago di Alleghe, que é bem bonito e merece a visita. Íamos aproveitar para almoçar, mas como chegamos após às 15 horas, já estava tudo fechado. Ou seja, se atente pra isso caso queira comer em restaurantes. Andamos um pouquinho por lá e seguimos para Selva di Cadore. De San Martino até Alleghe dá cerca de 1 hora de trajeto, e de Alleghe até Selva di Cadore são cerca de 15 minutos.

Lago di Alleghe
Lago di Alleghe

Dica de restaurante em Selva di Cadore

Selva di Cadore também é bem pequenininha e por isso, não há inúmeros restaurantes pela cidade. Como estávamos na baixa temporada, somente dois lugares estavam abertos. Por sorte, um deles é um dos melhores de lá e o nosso hotel ainda nos deu um voucher de 10% de desconto. O nome do restaurante é Al “Croti” e, além dele ser muito fofo, a comida era maravilhosa e os preços nem um pouco exorbitantes. Adoramos! Fica a dica para quem também utilizar a cidade como parada para pernoite.

Restaurante Al "Croti"
Filé com legumes (poderia ser com batatas também) por 14 euros

Dia 4 – Giau Pass, San Vito di Cadore e Cortina d’Ampezzo: uma das rotas mais bonitas do nosso roteiro nas Dolomitas

Acordamos novamente bem cedinho e com um visual esplêndido nos dando bom dia. Nosso destino final era Cortina d’Ampezzo, a Rainha das Dolomitas, cidade onde ficaríamos mais tempo durante o nosso roteiro. Seriam 4 noites em Cortina para conhecer os mais belos lagos das Dolomitas e fazer algumas trilhas pela região. Essa estrada é considerada uma das mais bonitas das montanhas da Itália e grande parte dessa fama se dá pelo Passo Giau.

Selva di Cadore Italia Dolomitas
Visual da entrada do nosso hotel em Selva di Cadore

Seguimos em direção ao tão falado passo. Pelo caminho, paramos diversas vezes para fotos. E, acredite, você provavelmente fará o mesmo. Foi nesse trajeto que tivemos os primeiros indícios de neve na estrada. Tudo bem, ainda era bem pouquinho, mas mal sabíamos o que nos esperava nos próximos dias.

Dolomitas Itália
Essas estradas das Dolomitas são fora de série

Passo Giau

Um pouco antes de chegarmos ao Passo Giau há um pequeno recuo para carros. Paramos ali para admirar a paisagem um pouco. É tudo tão lindo que me emociono só de lembrar. Pra quem gosta de montanhas e natureza, um roteiro pelas Dolomitas é uma viagem de sucesso!

Passo Giau Dolomitas Italia
Recuo antes de chegar no Passo Giau

Ao chegarmos no Passo Giau ficamos sem palavras. E continuo até hoje assim. O lugar é sensacional! De lá saem diversas trilhas para outros pontos das Dolomitas, mas fizemos apenas uma pequena, grande parte por um percurso pavimentado. No local há um hotel, que obviamente estava fechado. rs. Como essa é uma área de grande altitude, tinha muito mais neve por lá.

Passo Giau Dolomitas Italia
Trilha até o pé da montanha
Passo Giau Dolomitas Italia
E essa cadeia de montanhas maravilhosas?

San Vito di Cadore

Como nosso check in em Cortina d’Ampezzo era somente no final tarde, aproveitamos pra dar uma esticada e conhecer San Vito di Cadore, um vilarejo a cerca de 20 minutos de Cortina. San Vito de Cadore é um vilarejo super fofo e quase que ficamos hospedados lá em vez de em Cortina. Aliás, muita gente faz isso para evitar os preços mais elevados do hotéis. Como no final das contas encontramos uma boa promoção, optamos por dormir em Cortina mesmo.

San Vito di Cadore também éencanta com suas montanhas, trilhas e lagos. Conhecemos o Lago Mosigo e ficamos um tempo por ali curtindo o dia. Aproveitamos para almoçar em uma pizzaria deliciosa. Foi de longe a melhor pizza que comi na Itália, por incrível que pareça. O nome do lugar é Stuzzica La Voglia e fica bem na rua principal.

Lago Mosigo
Lago Mosigo

Logo após, seguimos para Cortina d’Ampezzo. Assim que chegamos começamos a entender o porquê de ter o título de realeza de Rainha. Cortina é deslumbrante! Ela literalmente parece estar no meio das montanhas da Itália. Pra onde você olhar, terá uma como plano de fundo. Tiramos o restante do dia para andar e ir ao supermercado (economia, né, gente rs). Você ler mais sobre a cidade no post O que fazer em Cortina d’Ampezzo – dicas de passeios e hotéis na Rainha das Dolomitas.

Dia 5 – Cortina d’Ampezzo: é uma das melhores opções para um roteiro pelas Dolomitas se você tem poucos dias de viagem

Acordamos bem cedinho para fazer a nossa primeira trilha na região. Para começar, escolhemos o Giro delle Torri e você pode ler o nosso relato completo no post Trilha nas Dolomitas – Como é o Giro delle Torri partindo do Rifugio 5 Torri. A trilha começa no Refúgio 5 Torri, passa pelas torres e você consegue alcançar até o mesmo um outro refúgio de montanha, o Scoiatolli. Mesmo quem não gosta desse tipo de atividade pode fazer o trajeto até o Refugio 5 Torri e já ter uma vista linda de toda a região. Caso você vá na alta temporada, pode aproveitar alguns dos teleféricos disponíveis.

Inicialmente, também faríamos a trilha até o Lago Sorapis, mas descobrimos que como o rio que o alimenta já havia congelado, ele estava praticamente seco. Então, achamos melhor deixar pra uma outra vez. Entretanto, acho que esse é um dos passeios mais imperdíveis em um roteiro pelas Dolomitas, principalmente para quem visita a região durante o verão.

Nosso dia se encerrou em um restaurante especializado em frios (presuntos, queijos, etc) no geral. Mas como estávamos muito famintos não comemos nada disso e botamos logo um prato de pedreiro pra dentro! rs. O lugar se chama Dok Dall’Ava Prosciutterie e nós gostamos bastante.

Dia 6 – Cortina d’Ampezzo

Acordamos mais cedo ainda. Tínhamos reservado esse dia para fazer a trilha até Tre Cime di Lavaredo, uma das mais famosas nessas montanhas da Itália. Mas para chegar até lá era necessário primeiro seguir até o Rifugio Auronzo, já que o ponto de partida mais comum é no refúgio. Assim como durante todo o inverno, a estrada até ele já estava fechada em novembro. Portanto, não dava para ir de carro até lá – que é a forma mais prática de conhecer Tre Cime di Lavaredo.

Rifugio Auronzo Tre Cime di Lavaredo
Rifugio Auronzo

Fomos de carro até um estacionamento próximo ao Lago Antorno e pegamos a trilha desde lá. Foi beeem cansativo e o trekking não é tranquilinho como li em alguns lugares. Não há precipícios e coisas do tipo, mas tem muita, muita, muita subida. No final das contas, valeu a pena de mais! Foi um dos lugares mais inesquecíveis que nós visitamos! Explicamos toda a logística no post Rifugio Auronzo e a trilha para Tre Cime di Lavaredo.

Rifugio Auronzo Tre Cime di Lavaredo
No caminho para Tre Cime di Lavaredo
Rifugio Auronzo Tre Cime di Lavaredo
Visual do Rifugio Auronzo

Após descermos da trilha, curtimos o pôr do sol no Lago Antorno. Foi o mais bonito que vimos na viagem. Queríamos aproveitar e parar no Lago Misurina, que fica no meio do caminho de volta até a cidade. Mas já estava ficando escuro e estávamos tão cansados que deixamos para o outro dia.

Lago Antorno Dolomitas
Pôr do sol maravilhoso!
Lago Antorno Dolomitas
Lago Antorno

Finalizamos a noite tomando umas boas geladas no bar da cervejaria Hacker-Pschorr, bem no centrinho de Cortina. Comida boa, ambiente bacana e preço ok. Recomendamos.

Dia 7 – Cortina d’Ampezzo

A programação para esse dia foi bem relax, ainda mais depois das trilhas que já havíamos feito. Era hora de conhecer alguns dos lagos mais bonitos da região. Os escolhidos foram Lago di Braies, Lago di Landro, Lago Dobbiaco e o Lago Misurina, que tinha ficado de fora no dia anterior.

Lago di Braies Dolomitas
Lago di Braies

O Lago di Braies é o mais famoso deles e não é por menos. O bicho tira onda mesmo! A dica mais importante é que você deve visitá-lo antes de todos os outros. Primeiro porque como ele é o mais conhecido, recebe muito mais turistas e excursões, então encaixá-lo como primeiro do dia te permitirá conhecer o lugar ainda sem muita gente. E segundo porque é bom evitar o sol de meio dia, pois ele bate diretamente na água e muda um pouco a sua cor. Você pode conferir mais no post Lago di Braies, um dos mais incríveis das Dolomitas e da Itália.

Após conhecê-lo seguimos para o Lago Dobbiaco e em seguida para o Lago di Landro. Os dois também são bem bonitos e valem a parada. Em seguida, fomos até o Lago Misurina e passamos a tarde por lá.

Lago Misurina Dolomitas
Lago Misurina

Dia 8 – Falzarego Pass, Selva di Val Gardena e Val di Funes, outro trajeto cênico em um roteiro pelas Dolomitas

Chegou o dia de deixarmos Cortina d’Ampezzo e continuarmos nosso roteiro pelas Dolomitas. No entanto, justamente na hora de ir embora, tivemos a maior surpresa da viagem: tinha começado a nevar! Já tínhamos visto neve anteriormente quando subimos o Vulcão Villarrica, no Chile, e durante a nossa viagem por Ushuaia, na Argentina, durante o inverno, mas era primeira vez que víamos nevar de fato. Foi inesquecível e muito emocionante! Lembro até hoje que fui jogar o lixo fora, vi que estava nevando, larguei o lixo em qualquer lugar e voltei pra chamar o Rafael pra ver! haha. Finalmente, a cidade tinha ganhado a cara do inverno! Antes de seguirmos viagem fomos conhecer o Lago Gheddina, outro lago com aquela água verde que dói os olhos. Encontrar o cenário completamente nevado deixou tudo ainda mais especial.

Nosso destino final era a região de Val di Funes, onde iríamos dormir somente uma noite antes de seguirmos para Bolzano. A estrada até lá reserva outros cenários tão belos quanto os que já havíamos visto – se é que isso é possível. Aqui vale um destaque especial para o Passo Falzarego, onde há uma capela, um museu da guerra, trilhas, teleférico até o Rifugio Lagazuoi e uma estradinha até o Rifugio Col Gallina. Como estava nevando muito nesse momento, paramos o carro um pouco, mas mal andamos pela região. Outro lugar que também merece uma parada é a área de Selva di Val Gardena. Devido a neve, infelizmente nós só vimos de longe.

Passo Falzarego Falzarego Pass
Igrejinha no Passo Falzarego

Val di Funes

O Val di Funes é um dos lugares mais fotografados das Dolomitas. O vale realmente é lindo, mas quem rouba a cena por lá são as capelinhas da região. Mais uma vez, por causa do tempo, só conseguimos ver a de Santa Madalena, mas a de San Giovanni in Ranui é igualmente fofa. Os vilarejos dessa área são San Pietro, Tiso, San Valentino, San Giacomo, Colle e Santa Madalena, onde pernoitamos.

Val di Funes Dolomites
Val di Funes

Como já imaginávamos, os restaurantes da região estavam fechados, com exceção de um. Era justamente o mais caro da cidade! Jantamos no Pitzock, nada mais, nada menos que o número 1 do TripAdvisor. Foi caro? Foi. Mas pedimos o prato mais barato do cardápio e deu tudo certo! rs.

Dia 9 – Alpe di Siusi e Bolzano

Acordamos bem cedinho e seguimos viagem até o Alpe di Siusi, o maior planalto da Europa. Pelo caminho, a quantidade de neve já nos dava um gostinho do que veríamos lá em cima. Toda essa área é uma das mais procuradas para o esqui durante o inverno e para trilhas e caminhadas durante o verão. O lugar tem cada mirante com vista linda! Na alta temporada a estrada até lá fica fechada, restando somente a opção de teleférico para acessar o lugar. Como viajamos na baixíssima temporada, conseguimos chegar de carro até lá em cima.

Alpe di Siusi Dolomites Italy
Casinhas e pequenos hotéis na estrada até o Alpe di Siusi

O cenário era totalmente de inverno. Havia neve para onde nós olhássemos. As pistas de esqui já estavam completamente prontas, mas as estações ainda não estavam abertas. O local estava bem vazio e não havia praticamente ninguém por lá, exceto meia dúzia de curiosos como a gente e o pessoal que estava a trabalho.

Alpe di Siusi Dolomites Italy
Teleféricos no Alpe di Siusi

Finalizamos o dia em Bolzano, onde iríamos passar os próximos dias do nosso roteiro nas Dolomitas. Aproveitamos para conhecer o bar da cervejaria Paulaner que tem na cidade e super indicamos! Ambiente bem legal, comida farta e saborosa e as cervejas eu nem preciso falar, né? Maravilhosas! rs

Dia 10 – Bolzano, outra opção central de hospedagem durante um roteiro pelas Dolomitas

Tiramos o dia para conhecer o Lago di Carezza e seu entorno. Do centro de Bolzano até lá são cerca de 30 minutos de carro. A estrada é boa, mas um pouco sinuosa. Mais uma vez, havia muita neve pelo caminho. Tamanha foi a nossa surpresa quando chegamos no lago e ele estava completamente congelado. Além disso, devido às chuvas passadas, muito de sua encosta havia cedido e não foi possível descer até ele. Enfim, basicamente o lugar estava interditado e não tínhamos tido acesso a essa informação antes. De qualquer forma, ficamos admirando lá de cima. Nunca tínhamos visto nenhum cenário parecido. O local conta com estacionamento, passagem subterrânea até o lago e lanchonete, mas estava tudo fechado – só o estacionamento que não.

Lago di Carezza
Lago di Carezza todo congelado

Passo di Costalunga

Em seguida resolvemos subir mais um pouquinho e fomos em direção ao Passo de Costalunga, cerca de 10 minutos a mais de trajeto. O local também é uma enorme área para esqui, com hotéis e apartamentos para alugar praticamente dentro da pista! haha. Como o lugar estava completamente vazio, tipo cidade fantasma mesmo, até brincamos na neve em uma das pistas. É claro, nenhuma delas estava funcionando ainda. Achei esse complexo de esqui muito acessível em termos de locomoção. Paramos o carro no estacionamento do outro lado da rua, atravessamos e já estávamos dentro do complexo.

Passo di Costalunga
Passo di Costalunga

Aproveitamos o restante do dia para andar pelas ruas do centro de Bolzano. Caminhamos pelas vias mais famosas da cidade (Via dei Portici, Via Dr. Joseph Streiter), conhecemos o mercado a céu aberto da Piazza delle Erbe e finalizamos na Piazza Walther, a praça principal. Damos todas as dicas aqui: Bolzano, um gostinho austríaco em terras italianas. Nossa noite foi regada a cerveja artesanal na cervejaria Batzenhäusl. Ambiente muito descolado e cardápio com vários petiscos e pratos típicos. Curtimos!

Dia 11 – Bolzano

O último dia do nosso roteiro pelas Dolomitas foi reservado para conhecer um pouquinho da história dessa terra. Fomos até o Castelo do Tirol, onde hoje em dia funciona o Museu de História do Tirol do Sul, e ficamos apaixonados pelo passeio. Como boa parte da estrada até lá fica aberta somente ao trânsito de pedestres, é necessário parar antes e seguir o restante do percurso a pé. Do centro de Bolzano até lá são cerca de 40 minutos. Explicamos todos os detalhes no post Castelo do Tirol, beleza e história nas montanhas da Itália.

Castelo do Tirol
Castelo do Tirol

Nesse mesmo dia fizemos outros dois programas que não deram certo. Primeiro, tentamos ir até o Castel Roncolo, um outro castelo que fica bem mais próximo do centro da cidade. A rua que dá acesso a ele estava fechada para carros devido às obras, portanto, teríamos que acessá-lo a pé ou através de um ônibus. O ônibus demoraria muito para passar e andando levaríamos em torno de uma hora. Desistimos. Logo após, decidimos ir até Soprabolzano, um vilarejo que acessamos a partir de Bolzano via teleférico ou então de ônibus. Acontece que justamente nesse dia o teleférico estava em manutenção, ou seja, nos restava a opção do ônibus. Mas como já estava próximo de anoitecer, decidimos seguir de carro até onde seria permitido só pra ver o lugar de longe. Valeu a pena, porque a vista foi incrível!

Soprabolzano
Soprabolzano vista de longe

Mercado de Natal de Bolzano

Em nossa última noite nas Dolomitas realizei um dos meus sonhos: conheci um Mercado de Natal. Pode parecer meio bobo, e talvez até seja mesmo, mas desde pequena eu sonhava em estar presente em um. Quando soubemos que na praça principal de Bolzano era montado um dos maiores da Itália, não perdemos tempo e estendemos a nossa estadia. Era tudo tão lindo! Aproveitamos para beber muito vinho brulé, comemos comidas típicas e ainda vimos o acender oficial das luzes, já que era a inauguração do mercado. Só não trouxemos lembrancinhas porque nossos euros já estavam no fim e ainda iríamos pra Suíça. Para ver maiores informações sobre quando acontece o mercado de natal na cidade, confira o site oficial.

Mercado de Natal de Bolzano
Mercado de Natal de Bolzano

Dia 12 – Bolzano e devolução do carro em Milão

Esse dia foi destinado apenas a deixar as Dolomitas e devolver o carro em Milão. De Bolzano até o aeroporto Malpensa são 320 km, algo em torno de 3h30min. Pelo caminho há uns três pedágios, mas a rodovia é bem boa e não há dificuldades. Em breve faremos um post dando dicas de como dirigir na Itália e explicaremos como funcionam os pedágios por lá. Entregamos o carro já com dor no coração, morrendo de saudades de um dos lugares mais lindos que já fomos na vida!

Hospedagens durante o nosso roteiro pelas Dolomitas, nas montanhas da Itália

Para facilitar o planejamento de vocês, segue uma lista com hotéis, pousadas e apartamentos em cada um das cidades que nós ficamos, incluindo o local onde nos hospedamos e nossas considerações a respeito deles.

Trento

Ficamos no apartamento Casa Franceschi e gostamos bastante. Grande, confortável e muito bem equipado. Apesar da boa localização (perto de várias coisas), não dava pra ir andando até o centro histórico. Quer dizer, até dava, mas era algo em torno de 25 minutos de caminhada. Então, preferíamos ir de carro. Ficaríamos lá novamente.

Casa Franceschi Trento
Quarto muito confortável

Outras opções para você considerar:

Confira aqui todos os hotéis disponíveis em Trento

Selva di Cadore

Ficamos no Hotel Garni Ongaro e não temos o que reclamar. Hotel aconchegante, quarto simples, mas confortável e aquecimento funcionando muito bem. O café da manhã também era excelente.

Outros hotéis na cidade:

Veja aqui mais hotéis em Selva di Cadore

Cortina d’Ampezzo

Em Cortina d’Ampezzo alugamos um apartamento no AirBnb. Conseguimos uma super promoção e valeu muito a pena. Você pode clicar aqui para ver a propriedade e aqui para ter um desconto de 179 reais na plataforma.

Cortina d'Ampezzo
Nada mal uma mesinha, um visual desse e um vinho

Outras boas opções:

Confira aqui todos os hotéis em Cortina

Val di Funes

Ficamos no Fallerhof, uma propriedade com um ar meio rural, mas foi onde tomamos o melhor café da manhã da viagem! O quarto era bem grande e confortável. O atendimento dos donos também foi show.

Fallerhof Dolomitas
Café da manhã com vista

Outros hotéis para você considerar:

Confira mais hotéis nos vilarejos de Val di Funes

Bolzano

Nos hospedamos duas noites no Villa Jasmine Guesthouse, um estúdio muito bem localizado, pertinho do centro histórico. Fazíamos tudo andando numa boa. A cozinha era equipada e ainda tinha cápsulas de café disponíveis pra gente. Gostamos muito também. A terceira noite tivemos que ficar em outro hotel, pois o estúdio não tinha mais vaga. Ficamos no Ottenkellerhof, um dos poucos com vaga e preço ok, um pouco mais distante do centro, mas pra um pernoite só, valeu a pena.

Villa Jasmine Guesthouse Bolzano
Quarto do Villa Jasmine

Outro lugares legais na cidade:

Confira aqui todos os outros hotéis de Bolzano

Hotéis em outros vilarejos das Dolomitas caso vocês pensem em pernoitar em outros lugares:

Fiera di Primiero

San Martino di Castrozza

San Vito di Cadore

Alpe di Siusi

Seguro viagem para conhecer as Dolomitas, na Itália

Assim como em diversos outros países europeus signatários do Tratado Schengen, para entrar na Itália é obrigatório que o turista tenha um seguro viagem com apólice de no mínimo 30 mil euros. Caso contrário, você poderá sim ficar barrado na imigração se por ventura te pedirem as apólices. Além dos termos legais, nós recomendamos que você jamais faça uma viagem internacional sem um seguro saúde. Caso você precise de um médico ou hospital, os custos com saúde na Europa costumam ser altíssimos e sem dúvidas sairão muito mais caros do que o seguro em sim. É claro que ninguém viaja esperando que o pior aconteça, mas imprevistos existem, né? Sempre fechamos os nossos seguros através da Seguros Promo. Além de oferecem ótimos preços, ainda é possível o pagamento parcelado no cartão de crédito. Ah, e todos os nosso leitores têm desconto no site deles!

FAÇA A SUA COTAÇÃO E GANHE 5% DE DESCONTO COM O CUPOM CARIOCA5

♦PLANEJE A SUA VIAGEM♦

  • Reserve a sua hospedagem através do Booking e garanta as melhores tarifas. Fique tranquilo porque reservando através do nosso blog você não pagará nenhuma taxa extra. E além disso ainda nos ajuda a mantê-lo no ar, criando cada vez mais conteúdos gratuitos e de qualidade.
  • Reserve um apartamento através do AirBnb e ganhe até 179 reais em crédito na sua primeira reserva pelo site.
  • Alugue o seu carro com até 60% de desconto. Parcele no cartão e sem cobrança de IOF pela RentCars. Além disso, todo o valor é gerado em reais.
  • Viaje conectado! Compre seu chip de celular da Yes Brasil com internet 4G para usar no exterior.
  • Compre seus ingressos antecipados através da Tiqets e evite filas nas atrações mais famosas do mundo.
  • Reserve os melhores passeios e experiências com a Get Your Guide.

Compartilhar
Autor

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

Escreva um comentário