Atualizado em 23 de fevereiro de 2024

Meu destino dos sonhos na Itália sempre foi a região das Dolomitas. Lá no Norte do país, na fração oriental dos Alpes Italianos, essa cadeia de montanhas tem tudo de mais apaixonante em um destino. Muitas trilhas, lagos encantadores no verão ou no inverno, vilarejos singulares, boa gastronomia e muita natureza estão presentes em cada pedacinho desse território.

Por isso, neste guia explicaremos TUDO o que você precisa saber para organizar a sua viagem para as Dolomitas na Itália. Você verá onde fica, como chegar, o que fazer, quando ir, onde se hospedar, um mapa local e qual a melhor época para visitar as Dolomitas de acordo com os seus interesses.

Lago Mosigo nas Dolomitas Italianas
Lago Mosigo nas Dolomitas Italianas

Neste guia das Dolomitas, na Itália, você verá:

(você pode clicar diretamente no assunto que mais te interessar ou ler o guia completo)

  1. Sobre as Dolomitas na Itália
  2. Preciso de seguro viagem para viajar à Itália?
  3. O que fazer nas Dolomitas Italianas: lagos, trilhas, refúgios e passeios nos Alpes Italianos
  4. Como chegar nas Dolomitas, na Itália: saindo de Milão, Veneza, Verona
  5. Quando ir para as Dolomitas: o que fazer no verão, inverno e baixa temporada (novembro nas Dolomitas)?
  6. Hospedagem nos Alpes Italianos
  7. Como se locomover pelos Alpes da Itália
  8. Quantos dias ficar
  9. Mapa das principais cidades das Dolomitas
  10. Dicas essenciais para visitar os Alpes Italianos
  11. Chip de internet na Itália

Dolomitas, nos Alpes Italianos

Essas montanhas, que são de longe as mais bonitas da Itália, se dividem em três áreas: Vêneto, Trentino-Alto Ádige e Friuli Venezia Giulia. Além disso, elas abrangem as províncias de Trento, Bolzano, Belluno, Udine e Pordenone, totalizando uma área de mais de 141 mil hectares que fazem parte da lista de Patrimônio Natural da Unesco desde 2009.

Apesar das montanhas Dolomitas englobarem várias cidades e vilarejos, os mais famosos são Bolzano, Cortina d’Ampezzo, Trento e Val di Funes. Mas há outros cheios de belezas e pontos interessantes que nós falaremos ao longo desse guia.

Com picos com mais de 3 mil metros de altura, a cordilheira das Dolomitas possui esse nome em homenagem ao geólogo francês Deodát Dolomieu. Ao pesquisá-las ele descobriu que suas propriedades geológicas são diferentes das demais montanhas da Itália, com um certo tom esbranquiçado. Por isso, as Dolomitas também são carinhosamente apelidadas de Montanhas Pálidas.

Dolomitas Alpes Italianos
Montanhas Dolomitas na Itália

Preciso de seguro viagem para conhecer a Itália?

Sim, o seguro viagem é obrigatório para viajar à Itália e, consequentemente, para visitar as Dolomitas.

Assim como em outros países europeus, a Itália exige um seguro com apólice de no mínimo 30 mil euros. Além disso, é o seguro viagem internacional que te dará assistência e cobertura se você precisar de atendimento médico de emergência. Se tratando da Europa, onde o custo com saúde é em euros, ele se torna essencial para que você não gaste rios de dinheiro em hospitais e farmácias.

Para completar, a maioria dos bons seguros também oferecem amparo e assistência em caso de voos cancelados, extravio de bagagem e até mesmo emergência odontológicas e assistência jurídica.

Nós sempre indicamos e fechamos os nossos com a Real Seguros. Como eles são nossos parceiros, os nossos leitores têm descontos em todos os planos do site.

-> PEGUE AQUI O SEU DESCONTO NA REAL SEGUROS E PARCELE EM ATÉ 12X NO CARTÃO =)

O que fazer nas Dolomitas (Itália)

As montanhas, com suas trilhas e travessias, estão na lista das melhores atividades nas Dolomitas. Porém, seus lagos cinematográficos e vilarejos alpinos não ficam para trás.

Além disso, como essa parte dos Alpes Italianos possui um dos maiores complexos de neve da Itália, o esqui, snowboard e demais esportes de inverno também são atrações muito procuradas nas Dolomitas Italianas.

Mas há ainda uma terceira e deliciosa possibilidade de turismo local, que é culinária regional. É uma mistura de gastronomia italiana com alemã que é um prato cheio para os viajantes.

Principais lagos nas Dolomitas

Os lagos são tão procurados nas Dolomitas que provavelmente você já deve ter visto vídeo viral de alguns deles nas redes sociais. Um desses exemplos é o Lago di Braies, muito famoso não só nos Alpes Italianos como na Itália em si. Outro muito conhecido é o Lago Misurina, que fica bem pertinho de Cortina d’Ampezzo e é de fácil acesso.

Lago di Braies nas Dolomitas
Lago di Braies nas Dolomitas

Entre tantas opções belíssimas para você visitar nas Dolomitas, também podemos destacar o Lago di Tenno, Tovel, Alleghe, Sorapis, Carezza, Ghedina e o Lago di Dobbiaco.

Trilhas imperdíveis nos Alpes Italianos

Você encontrará trilhas de todos os tipos nas Dolomitas, desde as mais curtinhas até travessias de longa distância entre as cidades.

Todas as trilhas da região possuem nomes e sinalizações, por mais extensas que sejam. Além disso, também há muitas vias de escaladas (Vias Ferratas) devidamente sinalizadas. Se você pretende fazer um trekking mais longo ou com um maior nível de dificuldade, recomendamos que pegue todas as informações necessárias com os órgãos de turismo locais, principalmente para avaliar as condições climáticas.

Por outro lado, se a sua ideia é fazer trilhas menores e mais tranquilas, até nível médio de dificuldade, opções bem legais são o circuito de Tre Cime di Lavaredo, o Giro delle Torri, a trilha até o Lago di Sorapis, o hiking pelas bordas das montanhas em Seceda e as trilhas no entorno do Passo Giau.

Outras duas regiões dos Alpes Italianos que também possuem trilhas com cenários incríveis é o Val di Funes, especialmente o circuito até o Rifugio delle Odle e a trilha Adolf Munkel, e toda a área do Alpe di Siusi.

Tre Cime di Lavaredo
Região de Tre Cime di Lavaredo

Refúgios de montanha nos Alpes

Os refúgios de montanha das Dolomitas são exatamente o que seus nomes sugerem: refúgios no alto das montanhas.

Você pode usá-los apenas para um pit stop durante as trilhas ou passeios como também pode se hospedar neles. Aliás, para fazer travessias entre as cidades dos Alpes Italianos as melhores opções de hospedagens são justamente nos refúgios. E como a maioria deles conta com bar e/ou restaurante, você pode se programar para almoçar ou fazer um lanche, independente de se hospedar ou não.

Alguns refúgios são facilmente acessíveis por estradas, como é o caso do Rifugio Auronzo e do Rifugio 5 Torri, ambos com estacionamento. Por outro lado, há os que precisam de trilha ou teleféricos. Além disso, muitos funcionam apenas durante a alta temporada de verão ou inverno.

Geralmente, a maioria dos refúgios de montanha nas Dolomitas possuem área externa com mirantes e muita gente reserva um dia inteirinho para explorar os seus arredores. Aliás, há diversas trilhas que saem dos refúgios, então, vale a pena conferir as que ficam próximas do que você irá conhecer.

Rifugio Scoiattoli
Rifugio Scoiattoli nas Dolomitas

Seria praticamente impossível listar todos os refúgios das Dolomitas apenas nesse post. Afinal, são dezenas, distribuídos em todas as cidades dos Alpes Italianos. Por isso, o ideal é pesquisá-los de acordo com o seu roteiro.

Mas, para não deixar vocês no escuro, vamos sugerir alguns:

Outros pontos turísticos nas Dolomitas

Os passos também são atrações imperdíveis nas Dolomitas. Eles são passagens entre as cadeias montanhosas, geralmente em pontos bem altos. Você passará por eles enquanto estiver se deslocando pelas cidades dos Alpes Italianos e muitos têm até uma certa estrutura turística, com teleférico, lojinha, cafeteria e/ou acesso às estações de esqui. Vale a pena parar em alguns, como o Passo Giau, Falzarego e o Passo di Costalunga.

Passo Falzarego nas Dolomitas Italianas
Passo Falzarego

Viajar pelas Dolomitas na Itália também é uma boa oportunidade para conhecer mais sobre a história e cultura local. O Museu da Grande Guerra, por exemplo, conta a história da guerra entre a Áustria e a Itália, da época em que as Dolomitas faziam parte do Império Austro-húngaro.

Outros museus bem legais, que na verdade são castelos, é o Castelo do Tirol, que antigamente era a sede dos Condes do Tirol e hoje em dia abriga o Museu da História do Tirol do Sul, e o Castello del Buonconsiglio, palco dos acontecimentos do Concílio de Trento e sede da resistência italiana contra os austríacos.

Há ainda os museus voltados às ciências naturais, como o Museu Ötzi, onde você verá o “Homem de Gelo” com cerca de 3 mil anos encontrado nos Alpes da Itália, e o Messner Mountain Museum, que na verdade é um conjunto de museus nas Dolomitas que fala sobre todos os assuntos que remetem às montanhas.

Castelo do Tirol Alpes Italianos
Castelo do Tirol na Itália

Passeios de 1 dia nos Alpes Italianos

Contratar algum passeio de 1 dia nas Dolomitas é uma das melhores opções para conhecer alguns pontos turísticos principais dos Alpes da Itália caso você não tenha tempo para um roteiro mais completo.

tours de um dia inteiro saindo de Veneza que passam pelo Lago Misurina, Tre Cime di Lavaredo e Cortina d’Ampezzo. Por outro lado, se você estiver no entorno de Trento e do Lago di Garda, há passeios também de um dia que passam por alguns vilarejos das Dolomitas.

Outra sugestão é fazer um tour particular pelos Alpes da Itália saindo de Bolzano para conhecer Cortina d’Ampezzo, Lago Misurina, Tre Cime di Lavaredo e até mesmo o Lago di Braies.

Dolomitas na Itália: como chegar e onde fica

A região das Dolomitas fica no extremo Norte da Itália e boa parte dela faz fronteira com a Áustria. Como não há aeroporto em nenhuma das cidades locais, você deverá voar (ou pegar um trem) até outro destino italiano para então seguir até os Alpes da Itália. Aliás, somente duas das mais importantes cidades das Dolomitas têm estação de trem, que são Bolzano e Trento.

Nós chegamos por Milão e de lá alugamos um carro pela RentCars, onde na maioria das vezes dá pra pagar parcelado no cartão de crédito sem IOF. Você pode conferir aqui o roteiro dia a dia da nossa viagem. Milão foi a nossa escolha porque era a cidade ao norte do país com a passagem mais barata. Nós fomos pela TAP e aproveitamos para fazer um stopover de 5 dias no Porto, em Portugal.

Outras possibilidades são voar até Veneza, Treviso e até mesmo Verona. Ou então, desembarcar em Roma e seguir até as cidades mais próximas das Dolomitas Italianas de trem ou ônibus. Leia mais sobre como aproveitar uma conexão em Roma para conhecer os principais pontos turísticos da cidade.

Para as viagens de trem na Itália sempre compramos as passagens pelo próprio site da companhia local, a Trenitalia. Já para as viagens de ônibus pela Europa costumamos utilizar o serviço da Flixbus.

Como ir de Milão para as Dolomitas

Se você pretende sair de Milão, a melhor forma de visitar as Dolomitas é começando a sua viagem por Trento ou Bolzano.

Ônibus: o trajeto Milão x Trento dura cerca de 3h30min e custa entre 18€ e 35€, mas é possível encontrar passagens promocionais por 14€. Por outro lado, Milão x Bolzano leva de 4h a 5h e custa de 20€ a 30€, mas também dá pra achar promoções.

Trem: não há trem direito de Milão para as Dolomitas. Porém, é possível chegar em Bolzano ou Trento fazendo uma pequena baldeação em Verona. As passagens custam a partir de 25€ e o tempo de viagem total é em torno de 3h30min.

Carro: o caminho de Milão até Trento é feito pelas autoestradas A4, A70 e A22, finalizando com a E5.

Para chegar em Bolzano você pode usar essa mesma rota, mas seguirá por cerca de 60km mais à frente. Uma parte desse trajeto passa pelo Lago di Garda, uma região lindíssima que também vale a pena ser visitada. Nós fizemos uma parada em Riva del Garda, cidade à beira do Lago di Garda, e não nos arrependemos.

Como ir de Veneza para as Dolomitas

Se você vai usar Veneza como ponto de partida do seu roteiro pelas Dolomitas, a melhor opção é começar a viagem por Cortina d’Ampezzo.

Ônibus: há serviço direto de Veneza para Cortina d’Ampezzo. A ATVO faz esse trajeto três vezes ao dia, enquanto a Flixbus faz o trecho apenas quatro vezes por semana e costuma ser um pouco mais cara. As passagens custam a partir de €18, a viagem dura em torno de 2 horas e há ônibus diretamente do aeroporto de Veneza para Cortina.

Carro: a viagem é bem tranquila e o caminho é pela autoestrada A27, seguida pela SS51.

Como ir de Verona para as Dolomitas

Se Verona é o seu ponto de partida para visitar as Dolomitas, as melhores opções para começar o seu roteiro são Trento ou Bolzano.

Trem: a viagem de Verona até Trento dura cerca de 1 hora e custa a partir de 8€. Já para Bolzano, o percurso é um pouquinho mais longo e leva aproximadamente 1h40min. Nesse caso, os bilhetes também são um pouco mais caros e custam a partir de 14€.

Ônibus: há serviço direto tanto para Trento como para Bolzano. As viagens duram cerca de 1h10min e 2 horas, respectivamente, e as passagens são a partir de 8€. No entanto, também há ônibus direto de Verona para Cortina d’Ampezzo, mas são cerca de 4 horas de viagem.

Carro: o melhor trajeto é pela autoestrada A22 até Trento e/ou seguindo mais 60km à frente até Bolzano. A viagem durará em torno de 1 a 2 horas. Mas se você quiser ir diretamente até Cortina d’Ampezzo, a viagem de carro levará cerca de 3 horas e você passará por cidades como Pádua e Treviso.

Como ir de Treviso para as Dolomitas

Se Treviso é o seu ponto de partida, de longe a melhor opção é começar o seu roteiro por Cortina d’Ampezzo.

Ônibus: há serviço direto entre as duas cidades, o trajeto leva mais ou menos 1h50min e custa a partir de 20€. Quem faz a rota é a Cortina Express, mesma empresa que também opera o trecho Bolonha x Cortina, o que também pode ser uma opção dependendo do roteiro na Itália que você pretende fazer.

Carro: você seguirá pela autoestrada A27 e depois pelas SS51, em um trajeto de 2 horas. Nesse caso, você passará por cidades fofas como Pieve di Cadore e San Vito di Cadore.

Como ir de Innsbruck, na Áustria, para as Dolomitas, na Itália

Como Innsbruck fica bem na fronteira da Áustria com a Itália, muitas pessoas acabam fazendo um roteiro pelos dois países.

Nesse caso, além da viagem de carro, por conta própria, há a opção de pegar um ônibus de Innsbruck até Bolzano. A viagem dura menos de 2 horas e as passagens custam a partir de 11€.

Quando ir para as Dolomitas na Itália

Você vai ler muita gente falando que a melhor época de visitar as Dolomitas é durante o verão. Porém, não espere isso de nós. Escolher quando ir para as Dolomitas depende muito do tipo de viagem que você quer fazer e das suas prioridades. De qualquer forma, os Alpes Italianos têm atrações para o ano inteiro.

As altas temporadas são nos meses de verão e de inverno. Ou seja, consequentemente, essa também é a época mais cara e cheia, principalmente nos meses mais quentes como agosto.

De junho até setembro, o calor toma conta das Dolomitas, enquanto de dezembro a março o inverno chega com força e tudo fica cheio de neve.

Nós visitamos a região durante o outono na Itália, no mês de novembro, e conseguimos pegar dois cenários bem diferentes em uma mesma viagem. Se até meados do mês vimos as cores de outono contrastarem completamente com o verde dos lagos, ao final dele já tínhamos um bom anúncio do inverno. As pistas de esqui já estavam praticamente prontas, nevou em alguns dias e os lagos menores começaram a congelar. No entanto, fizemos trilhas na neve numa boa, mas com toda a segurança necessária.

O que fazer nas Dolomitas no verão

É no verão que você terá maiores chances de aproveitar os lagos que, inclusive, ficam bem cheios. Também é uma boa época para fazer trilhas nos Alpes Italianos, já que todas elas estarão abertas, assim como os refúgios de montanha.

O cicloturismo também ganha força durante o verão nas Dolomitas e atividades como mountain bike são muito comuns nos alpes.

Lago di Braies Dolomitas
Lago di Braies

A maioria dos teleféricos também funciona normalmente, o que vai facilitar a sua subida até as melhores montanhas e mirantes locais.

Por outro lado, muitas estradas fecham no intuito de organizar melhor o trânsito local, como as vias que levam até o Alpe di Siusi. Nesse caso, recomendamos que você sempre pesquise quais estradas estarão abertas ou não.

Tre Cime di Lavaredo Dolomitas
Trilha para Tre Cime di Lavaredo

O que fazer nas Dolomitas no inverno

Dolomitas no inverno é sinônimo de montanhas branquinhas e esportes de neve. É a época perfeita para quem gosta de esqui, snowboard e claro, um clima bastante ameno.

No inverno os refúgios de montanha também abrem a pleno vapor. Afinal, muitos deles se encontram em áreas que são complexos de esqui. Todos teleféricos também funcionam, muito embora o visual dos mirantes e das montanhas mude completamente.

Os lagos ficam totalmente congelados, ao ponto de você caminhar por eles sem nem se preocupar. Por outro lado, algumas trilhas ficam impraticáveis, então, se essa é a máxima da sua viagem pelas Dolomitas, evite o inverno.

Esse também é um ótimo período para aproveitar as feiras de Natal e a renomada rede hoteleira das Dolomitas. Alguns hotéis são perfeitos em termos de infraestrutura para a neve e o frio, com piscinas aquecidas e banheiras com vista para as montanhas, como é o caso do Alpina, Forestis, Belvedere, Montchalet e o My Arbor.

Lago Ghedina
Lago Ghedina começando a congelar

Atenção com a baixa temporada nos Alpes Italianos: abril, maio, outubro e novembro nas Dolomitas

Apesar de termos dito que vale a pena conhecer as Dolomitas o ano inteiro, precisamos frisar que muitos estabelecimentos só funcionam na alta temporada, ou seja, no auge do verão e no inverno. No entanto, isso não significa que tudo feche durante a baixa temporada.

De fato, alguns hotéis e restaurantes realmente não abrem, assim como os mais famosos refúgios de montanha. Porém, as vias até os refúgios, por exemplo, continuam abertas, o que significa que você pode chegar até eles tranquilamente para aproveitar as trilhas e os mirantes. Foi o que fizemos para conhecer o Rifugio Auronzo e o 5 Torri, onde tem a trilha Giro delle Torri.

Se você pretende visitar as Dolomitas em abril, maio, outubro ou novembro, evite se hospedar nos vilarejos menores pois é neles que a baixa temporada mais se faz presente. Como nós escolhemos cidades maiores para utilizarmos como base, não tivemos problemas.

Cidades da Itália para se hospedar e visitar nos Alpes

Se a sua viagem pelas Dolomitas na Itália é curtinha, o melhor a se fazer é escolher apenas uma ou duas cidades para pernoitar e fazer passeios de bate e volta pela região. Nesse caso, escolha lugares como Cortina d’Ampezzo ou Bolzano.

Por outro lado, se você tem mais dias livres, escolha mais cidades e vilarejos e faça um roteiro circular pelos Alpes Italianos.

Nós pernoitamos em Trento, Selva di Cadore, Cortina d’Ampezzo, Val di Funes e Bolzano. E apesar de termos rodando bastante por lá, nenhum deslocamento foi muito longo ou cansativo.

Agora, precisamos dar uma notícia triste para você. A hospedagem nas Dolomitas está longe de ser das mais baratas, mas pesquisando com antecedência dá pra encontrar lugares legais com preços ok no Booking.

Cidades com maior infraestrutura para hospedagem

Cortina d’Ampezzo

Localizada no coração das Dolomitas, essa é uma das melhores bases para conhecer os lagos mais famosos, fazer as principais trilhas e esquiar. Além disso, Cortina d’Ampezzo possui muitos hotéis e uma infinidade de restaurantes. Confira aqui todos os hotéis na cidade.

No entanto, o preço da hospedagem em Cortina d’Ampezzo é um dos mais altos nas Dolomitas. Por isso, uma forma de economizar é escolher um hotel em San Vito di Cadore, que fica apenas 20 minutos de carro de Cortina. Além disso, o ônibus 030 liga as duas cidades, o que facilita o deslocamento de quem não está de carro, e a cidade também é uma gracinha. Veja os hotéis em San Vito aqui.

Ruas de Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas Italianas
Ruas de Cortina d’Ampezzo

Bolzano

Bolzano é considerada a porta de entrada das Dolomitas, justamente por ser bem servida de ônibus e trem. É uma excelente alternativa para estar perto do Alpe di Siusi, uma das melhores áreas para esqui nos Alpes Italianos, mas sem pagar os preços de lá.

Além disso, Bolzano está próxima de muitos castelos da região do Tirol e é uma boa pedida para quem curte enoturismo. Confira todos os hotéis em Bolzano.

Enoturismo em Bolzano
Enoturismo em Bolzano

Trento

Trento é a capital da região conhecida como Trentino-Alto Ádige ou Tirol do Sul. Foi o lugar nas Dolomitas com mais infraestrutura e mais cara de cidade grande que nós ficamos. É uma excelente base para explorar o Lago di Tovel e o Lago di Tenno.

Lembrando que se você alugar um carro em Milão e seguir em direção à Trento ainda pode dar uma paradinha em Riva del Garda para conhecer o Lago di Garda. Veja todos os hotéis de Trento aqui.

Ruas de Trento nos Alpes Italianos
Trento

Onde se hospedar para esquiar nas Dolomitas (além de Cortina d’Ampezzo e Bolzano)

Alpe di Siusi

Essa é uma das áreas mais bonitas das Dolomitas e dos Alpes Italianos no geral, tanto no verão como no inverno. Se na época mais quente do ano as suas trilhas atraem visitantes do mundo todo, no inverno esse lugar fica lotado de pessoas em busca das melhores pistas de esqui.

Aliás, se hospedar no Alpe di Siusi no inverno significa que você estará praticamente dentro das pistas de esqui. Veja todos os hotéis da região aqui.

Esqui no Alpe di Siusi
Pistas de esqui e teleféricos no Alpe di Siusi

Selva di Val Gardena

Selva di Val Gardena é outra alternativa a considerar caso os esportes de neve sejam o motivo principal da sua viagem pelas Dolomitas. A cidade possui muitos hotéis voltados para o esqui e se encontra a cerca de 50 minutos de Bolzano e a 1h20min de Cortina d’Ampezzo. Veja aqui os hotéis em Selva di Val Gardena.

Madonna di Campiglio

Essa é uma das mais importantes estações de esqui da Itália. Como Madonna di Campiglio possui mais de 50km de pistas de esqui, há muito hotéis especializados no assunto.

E, para completar, há um teleférico bem no centrinho da cidade que te leva diretamente às pistas. Veja todos os hotéis em Madonna di Campiglio aqui.

San Martino di Castrozza

San Martino di Castrozza é um dos vilarejos mais bonitinhos das Dolomitas. E aqui, nesse ponto, precisamos deixar claro que se trata de um lugar que verdadeiramente não funciona na baixa temporada. Quando estivemos por lá encontramos quase tudo fechado, com exceção dos hotéis de luxo.

Mas, quando falamos de neve e inverno, é um dos destinos mais procurados nos Alpes da Itália, com muitas hospedagens legais. Veja aqui os hotéis em San Martino di Castrozza.

San Martino di Castrozza Alpes Italianos
San Martino di Castrozza

Alta Badia

Alta Badia é outra enorme área de esqui na região de Tirol do Sul, nas Dolomitas. No entanto, os hotéis e restaurantes aqui possuem um certo quê de requinte e sofisticação.

Aliás, esse vale faz questão de estampar suas estrelas Michelin em seus estabelecimentos. Ou seja, se prepare para um serviço de qualidade, assim como para preços mais altos. Confira as hospedagens em Alta Badia aqui.

Vilarejos menores nos Alpes Italianos que também valem o pernoite

Fiera di Primiero: não possui pista de esqui, mas esse vilarejo de montanha é encantador e encontra-se apenas a 20 minutos de distância de San Martino di Castrozza.

Alleghe: a cidade é uma graça, com um lago com orla e montanhas com pistas de esqui. Se encontra a menos de 1 hora de Cortina d’Ampezzo e possui boa infraestrutura de hotéis e restaurantes.

Alleghe Alpes Italianos
Alleghe

Selva di Cadore: fica a menos de 40 minutos de Cortina d’Ampezzo. É um vilarejo pequeno, mas com boas opções de hotéis, o que pode te ajudar em um roteiro circular pelos Alpes Italianos. Nós ficamos uma noite no Hotel Garni Ongaro e gostamos.

Val di Funes: é o vale mais famoso das Dolomitas e que guarda os cenários e igrejas mais fotogênicas da região. Basicamente, quando se pesquisa sobre Alpes Italianos, é uma imagem desse vale que costuma aparecer.

Val di Funes Dolomitas
Val di Funes

Como se locomover pelas cidades e vilarejos das Dolomitas na Itália

A melhor forma de viajar pelas Dolomitas é de carro. Apesar de ter alguns trechos estreitos, as estradas dos Alpes Italianos são boas, até mesmo as vias secundárias.

Aliás, fica aqui uma dica especial: sempre que possível saia da autoestrada e pegue as estradinhas menores. Garantimos que você terá vistas espetaculares!

Ainda sobre o aluguel de carro na Itália, as correntes ou pneus de neve são obrigatórios no país de 15 de novembro a 15 de abril. Portanto, verifique se o carro que você vai alugar já tem esses itens, independente de ser preciso usá-los ou não.

Não há necessidade de alugar nenhum super carro e/ou 4×4, de forma que um mais básico aguenta bem o tranco. Massss, se você puder investir nisso, invista, pois é um conforto a mais.

Carro alugado na Itália
Alugamos um Peugeot 2008

Por outro lado, dirigir na Itália não é nenhum problema, mas pode se tornar caso você não preste atenção nas assustadoras ZTL. Haha. Elas são as Zonas de Tráfego Limitado e estão por todo o centro histórico de TODAS as cidades do país, onde só é permitido o tráfego de veículos autorizados, inclusive nas Dolomitas. Nós já levamos duas multas por causa de ZTL em Siena, na Toscana, e não desejamos isso pra ninguém.

Ônibus nas Dolomitas

Existe, sim, transporte público nas Dolomitas. Porém, alguns horários e rotas não são tão frequentes ou só funcionam na alta temporada. Nós vimos pouquíssimos ônibus rodando entre as cidades e vilarejos. Onde acabamos vendo mais foi em Bolzano e Trento.

A Dolomiti Express e a Dolomitibus operam alguns trechos entre as cidades das Dolomitas. Além de consultar os horários dos transportes, nós recomendamos que você também cheque as informações no site oficial da cidade que você se hospedará.

Por outro lado, se a sua intenção é esquiar, a maioria dos vilarejos oferece o serviço de skibus incluído no passe de esqui. Ou seja, há ônibus rodando entre os diversos pontos dos complexos de esqui e eles te deixam diretamente nos lifts e teleféricos.

De todo modo, segue abaixo uma lista com algumas empresas de ônibus que rodam pela região das Dolomitas:

  • ATAP: transporte na província de Pordenone.
  • Dolomiti Bus: opera na província de Belluno e Cadore, em cidades como Cortina d’Ampezzo, Alleghe, San Vito di Cadore, Pieve di Cadore, Selva di Cadore, Colle Santa Lucia, Misurina, entre outras.
  • SAD e SASA: servem linhas de ônibus na província autônoma de Bolzano, em cidades como Bolzano, Merano, Bressanone, San Martino in Abadia, Funes, Castelrotto e área do Alpe di Siusi, Dobbiaco, Badia e mais.
  • SAF Autoservizi Friuli Venezia Giulia: linhas de transporte entre a região de Udine e Dolomitas.
  • Trentino Trasporti Esercizio: serviço de transporte na província de Trento em cidades como Trento, Roveretto, Tenno, etc.

Quantos dias ficar nas Dolomitas

Recomendamos de 3 a 4 dias como o mínimo necessário para conhecer um pouco das Dolomitas Italianas com calma, principalmente se você quer visitar alguns lagos e fazer pequenas trilhas.

Para uma viagem mais completa, 7 dias pelos Alpes Italianos estão de bom tamanho e dá pra conhecer muita coisa. Mas, como nós somos do time que prefere fazer tudo com tranquilidade, conhecendo o máximo de atrações possíveis, ficamos 12 dias inteiros nas Dolomitas e se pudéssemos teríamos ficado mais! rs

Mapa das Dolomitas nos Alpes Italianos

Abaixo você pode conferir um mapa das Dolomitas onde marcamos alguns dos principais pontos de interesse na região.

O nosso roteiro nos Alpes Italianos foi Trento – Selva di Cadore – Cortina d’Ampezzo – Val di Funes – Bolzano, em ordem de pernoites. Você pode conferi-lo completo nesse link aqui.

No mais, não hesite em nos contatar pelo Instagram @cariocasemfronteiras caso tenha alguma dúvida. Teremos maior prazer em te ajudar a conhecer e se apaixonar por esse pedacinho maravilhoso da Itália! =)

Dicas essenciais para visitar as Dolomitas na Itália

  • Muitos restaurantes fecham no período da tarde e só reabrem para o jantar. Se você faz questão de almoçar em restaurante, não perca a hora!
  • Em vilarejos pequenos é comum encontrar pessoas que só falam alemão, assim como é a coisa mais normal do mundo ter sinalizações, cardápios e etc nas duas línguas (alemão e italiano).
  • No inverno, tem apartamento e Airbnb que limita o uso do aquecedor a uma quantidade determinada de horas por dia e cobra o excedente. Confira as regras ao fazer check-in.
  • Os postos de gasolina são self-service.
  • Muitos pedágios das autoestradas funcionam com guichês de autoatendimento e você só paga o trecho percorrido. Achamos que funcionaram bem.
  • Alguns lugares não cobram estacionamento na baixa temporada.
  • O clima nas Dolomitas muda muito rápido. Pode acontecer de você começar uma trilha nas montanhas com sol e do nada vir uma nuvem daquelas e o tempo fechar. Seja cauteloso.

Chip de internet para usar na Itália

Por incrível que pareça, há sinal em boa parte das Dolomitas, inclusive no meio de algumas trilhas e no alto das montanhas.

Se você não quer depender de wifi e prefere ter acesso a internet a qualquer momento para pesquisar informações, a melhor opção é já sair do Brasil com um chip de internet internacional. A America Chip possui planos 4G Europa a partir de 40 dólares, com chip ou e-sim, e ainda parcelam em até 6x no cartão de crédito.

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
Instagram: @cariocasemfronteiras
Facebook: /cariocasemfronteiras

Author

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

70 Comments

  1. Agora temos mais material sobre as Dolomitas! Parabéns pelo guia, fico curiosa para ver os demais posts! E segura a vontade de voltar!

  2. Pingback: Lago di Braies, um dos mais incríveis das Dolomitas e da Itália

  3. É um sonho cada vez mais próximo de se concretizar, espero. Das naturezas mais belas de toda a Europa… fotos fantásticas! Sobra vontade de partir já…

    • Tudo bem ? Eu tenho o sonho de visitar esse lugar, mas infelizmente atualmente so posso viajar a partir do dia 07 ou 08 de Dezembro e tenho medo de chegar la e ter muita neve.. lagos congelados.. locomoção dificil …enfim .. vc acha que mesmo nesta época, vale a visita ? Mt obrigado !

      • Olá, Juliano. Tudo bem e você?
        Então, nessa época não dá pra fugir nem da neve e nem dos lagos congelados… todos estarão congelados. Entretanto, é uma época maravilhosa para curtir os esportes de inverno e as cidades ficam lindas nevadas. Eu acredito que Dolomitas vale a pena o inteiro 😉

  4. Que post incrível!!! Que vontade de conhecer esse lugar! Não sou de esportes de inverno, mas você mostrou várias alternativas de passeios. Salvei o post!

  5. visitei o lago di braies em abril e estava completamente congelado, assim ocmo o misurina…preciso voltar para ver o esplendor desse azul!

  6. Que lindas são as Dolomitas, confesso que não sabia que era um passeio tão interessante pra se fazer na Itália! 😀 também quero ir

  7. Ótimas dicas!
    Dhebora, Vi que você foi em novembro e estou pensando em ir na mesma época, mas estou um pouco receosa por conta da chuva. O que vc me diz?

    • Oi, Juliana!
      Olha, dos 13 dias que ficamos pela região, pegamos 1 dia e meio de neve direto e depois só sol! rsrs
      Eu não me preocuparia com isso não…

  8. Adorei seu post, Juliana! O mais esclarecedor que achei até agora 🙂
    Quero fazer esta viagem na Páscoa, a partir de Munique… Estou aqui na dúvida de onde me hospedar. Os bate-volta entre as cidades da própria regiao sao demorados pelos que vi no Gmaps :O Medo de pegar os lagos congelados… ai ai ai!

    • Oi, Camilian! Tudo bem? Que bom que o post te ajudou! Fico muito feliz! =)
      Recomendo que você se hospede em Cortina d’Ampezzo! Acredito ser a região mais central para você conhecer alguns dos principais atrativos da região.
      Um lago ou outro pode ainda estar congelado, mas provavelmente a maioria deve estar descongelando já… você vai só no final de abril, o clima já estará começando a “esquentar” hehe. De qualquer, mesmo congelados, os lugares são muito bonitos. Valem!

  9. Pingback: Rifugio Auronzo e a trilha para Tre Cime di Lavaredo

  10. LORENA MARQUES VAZ Reply

    Oi oi tudo bem? Primeiro parabens pelo roteiro…Morro de vontade de conhecer tudo pelas dolomitas…. eis q surgiu a viagem mas n temos tantos dias. Chegamos por Roma… faremos a Toscana e de lá vamos pras dolomitas…. mas to super na dúvida do q fazer… temos 3 noites p lá. Pensei em pegar um trem de Florença a Bolzano p n cansar tanto e la pegar o carro o q acha?? E o q sugere de base… pensando q teremos q chegar em Veneza…help!!! Ps: queria passar 1 mês so nas Dolomitas hahaha

    • Se quiser evitar a distância de carro entre Florença e Bolzano, o trem é uma boa opção. Em relação aos dias e cidades bases, uma boa ideia é ficar 1 noite em Bolzano e 2 em Cortina d’Ampezzo. De lá vocês seguem pra Veneza e devolvem o carro. 😉

  11. Que lugar incrível!!! Estou planejando uma viagem no norte da Itália!!! Com certeza, depois desse post, vou colocar as Dolomitas!!!!

  12. Mariana Antunes Reply

    Não conhecia Dolomitas…essa região dos Alpes Italianos é lindíssima. As Ruas de Cortina d’Ampezzo são super charmosas. O Lago di Braies possui uma imagem de filme! Ainda sonho visitar um lugar assim.

  13. Ahhh que post mais lindo. Saudades imensas das Dolomitas. Vocês nos inspiraram a conhecer as Dolomitas e ainda nos ajudaram muito (com tudo pra ser sincera). Com certeza, a melhor parte de nossa viagem pela Itália. Pena que ficamos pouco tempo mas está nos planos voltar.

  14. Alpes, sempre paisagens impressioantes, com neve, sem neve. E aquele lago, com água cristalina, muito maravilhoso!

  15. Olá! Eu e minha esposa faremos esse roteiro na segunda quinzena de novembro. Obrigado pelo post e dicas preciosas! Uma dúvida sobre o carro alugado: é necessário carro 4×4 para os trechos que vocês pegaram? Ou basta um carro mais simples? Vocês alugaram com pneus para neve e correntes? Grato!

    • Olá! Não é necessário 4×4 não, um carro mais simples aguenta bem. As estradas são bem boas no geral. No entanto, caso queira um pouco mais de conforto, pega um de classe intermediária (foi o que fizemos). De novembro até março, se não me engano, as correntes de neve são obrigatórias na Itália. É lei. Independente de pra onde você vá, o ideal é tê-las no carro (mesmo que o destino não neve). Nós alugamos com as correntes =)

  16. Olá Dhebora, muito bacana o conteúdo de vocês sobre as Dolomitas. Estaremos em Veneza eu, marido e filha de 5 anos em Dezembro e queremos passar uns 3 dias pelas Dolomitas, perto das estaçoes (temos amigos que vao querer esquiar, nós nao fazemos questao). Moramos na Europa entao podemos fazer essas viagens mais curtinhas. Nossos amigos insistem em Bolzano, por ser uma cidade maior, pelo mercado de Natal e pela estrutura (vamos com crianças). Estamos na dúvida sobre Bolzano ou Cortina D Ampezzo (sempre me disseram que é maravilhosa). Se tivessem que escolher uma, qual escolheriam? Obrigada mil vezes!!!

    • Oi, Luciana! Tudo bem?
      Então, Bolzano realmente é uma cidade maior, no entanto, vocês terão que se deslocar para esquiar pois não existem estações de esqui dentro da cidade, de fato. Se tivesse que escolher uma, eu escolheria Cortina. É uma cidade menor, mas tem tudo em relação a estrutura. As pistas são mais próximas (são 70 pistas só em Cortina) e eu particularmente acho Cortina mais bonita. Além disso, Cortina é mais central, então você consegue fazer mais passeios pelas Dolomitas além do esqui em si (dá pra visitar os lagos congelados, tem pista de patinação na cidade, dá pegar teleférico e passear nos refúgios – alguns têm atividades pra crianças). Agora, se você querem muito aproveitar o Mercado de Natal, por que não ficam 2 noites em Cortina e 1 em Bolzano?

      • Oi Dhebora, tudo bem? Muito obrigada pela resposta! Bom saber que Cortina tem bastante estrutura. Eu também sempre ouvi dizer que é o lugar mais bonito da regiao. Achei a sua idéia de 2 noites em Cortina e 1 em Bolzano muito boa – só tenho que convencer “os russos”. Obrigada por responder e parabens pelo conteúdo. Abraços. Luciana

        • rsrsrs… vai dar certo! No caso de vocês, acredito que a opção de dividir a estadia seja a melhor. Assim, vocês conseguem aproveitar os dois lugares e os passeios ao redor das cidades. Qualquer outra dúvida, conte a gente! Beijos e boa viagem!

  17. Rafaelly Bertolaso Reply

    Olha Dhebora, achei muito legal seu post. Meu marido e eu vamos para Itália em novembro no nosso aniversário de casamento e vamos pegar um dia para conhecer as dolomitas de carro.
    Alugamos um carro para percorrer cada cantinho e gostaria de tirar uma dúvida com você. Será que tem necessidade de acrescentar correntes nas rodas?? Vamos no meio de novembro.
    Vocês chegaram a pegar neve ou chuva.
    Muito Obrigada por todas informações que foram de muita ajuda. 😁🙏🏻

    • Oi, Rafaelly! Tudo bem?
      Que bom que o post lhe foi útil! 🤗
      Olha, tem uma lei na Itália que exige a obrigatoriedade de ter no carro as correntes de neve durante o período de novembro até março. Além da questão legal em si, em novembro a possibilidade de neve já é grande nas Dolomitas, principalmente na segunda quinzena do mês. Nós fomos em novembro e pegamos bastante neve a partir do dia 19 em Cortina, Val di Funes, Val Gardena e Alpe di Siusi. Não pegamos chuva em si e de todos os dias em que ficamos por lá nevou (muito) uns dois dias. Depois só sol! Hehe

  18. Paulo Neulaender Reply

    Otimas dicas em dezembro deste ano viajamos para Italia e vamos dormir uma noite em Tentro, parabens !!

  19. Adorei as dicas!
    Não tinha visto um post tão completo sobre esta região. Parabéns! Vai nos ajudar muito com a programação do nosso roteiro.
    Abs.,
    Juliana

    • Oi, Juliana! =)
      Muito obrigadaaa! Se pudermos ajudar com algo mais, é só nos deixar um comentários.
      Beijos!

  20. Vanessa Aragão Reply

    Oi, Dhebora, tudo bem? Primeiro, parabéns e muito obrigada por compartilhar informações tão preciosas. Surgiu um congresso para eu ir daqui a 3 semanas (final de fevereiro) e quero esticar uns dias para conhecer outras regiões da Itália (conheço Roma, Veneza e a Toscana). Estou pensando em ir de Roma (onde será o congresso) até Milão, depois ir a Verona e, de lá, tirar alguns dias nas Dolomitas. Mas queria algo fácil, sabe? Vc acha que vou aproveitar se ficar apenas em Bolzano como base para os passeios? De Bolzano consigo ir para bons locais de neve ou ficam muito afastados? Acha que vale a pena fazer tudo de carro? Agradeço desde já!

    • Oi, Vanessa!
      Tudo bem? Que bom que curtiu o nosso material!
      Olha, dá pra curtir só em Bolzano, mas pra ver neve mesmo o ideal é alugar um carro, nem que seja pelo menos por um dia. Dá uma olhada no site oficial da região do Alpe di Siusi (é só jogar no Google que vai aparecer). Nele eles dão as infos de como chegar sem carro – essas infos mudam a cada ano, de acordo com as condições da estrada e dos serviços oferecidos pelas secretarias de turismo das cidades. Se tiver como ir de transporte público pra lá esse ano, saindo de Bolzano, daí não vejo a necessidade de alugar carro pra ver neve. Por outro lado, para visitar outras regiões, o carro é a melhor opção.

  21. Zenaide Aderne Reply

    Parabéns pela riqueza do registro. Viagem maravilhosa e muito bem documentada. Vcs brilharam!!! Não conhecia e adorei. Grata pelas dicas.

    • Olá, Zenaide. Tudo bem? =)
      Ficamos muito felizes com o seu comentário! Que bom que você gostou!!!
      Beijo grande!

  22. Somos muito apaixonados pela Itália, mas ainda conhecemos pouco do país. Nosso grande sonho é passar alguns meses por lá, de norte a sul.
    Com certeza essa região das dolomitas estarão no nosso roteiro, que lugar incrível!! Obg pelas dicas e pelo post tão completinho.

    • Olá, Ana! Nós também somos muito apaixonados pela Itália… é um dos nossos países preferidos no mundo (talvez o mais preferido rs). Ainda não conhecemos nada do Sul, mas as praias de lá muito nos interessam.
      Que bom que o nosso post ajudou e foi útil. As Dolomitas são incríveis, mesmo. Não deixem de passar por lá em uma próxima vez pelo país. Beijos! =)

  23. Oi, voce já esteve na região das dolomitas no final de Março ou conhece alguém que esteve?
    Minha viagem seria esse ano em Junho e devido ao covid e férias na empresa só consigo reagendar para Março/21.
    Mas eu gostaria muito de ver o Lago di Braies descongelado. será que na ultima semana de março já consigo? Ou neste mês ainda tem neve por todo canto?

    • Oi, Thaís. Tudo bem?
      Nunca estivemos nessa época, mas até início de março ainda costuma ter bastante neve e o lago ainda está congelado. Talvez pro fim do mês, conforme você falou, ele ainda esteja com alguma camada de gelo por cima, mas já com as suas cores e com menos neve. Mas assim, tudo depende da intensidade do inverno, né?

  24. oiii… passando só pra parabenizar pelo post.. estou planejando minha viagem pra lá pra o ano que vem, e cheguei aqui pelo google – parabéns! acredito que vou conseguir tirar muitas dicas do seu post…

  25. Olá Dhebora!

    Meu nome é Daniel e, junto com minha esposa, amamos natureza e história, além de estarmos acostumados a montarmos nosso roteiro. E já temos nosso período programado para as Dolomitas (segunda quinzena de maio).

    Também gostamos de fazer as coisas com tranquilidade, preferindo ver menos lugares mas bem aproveitados do que ver muitas coisa na correria. Assim, estamos reservando 10 dias para a região.

    Pensamos em usar como base as cidades de Bolzano (ou Ortisei) e Cortina D’Ampezzo (5 dias cada) para fazer trilhas, passear de carro, ver os lagos, curtir um vinho… enfim, descansar a mente.

    Você acha que as bases e tempo em cada uma estariam adequados?

    Obrigado!

    • Oi, Daniel! Tudo bem?
      Vocês vão amar as Dolomitas!
      Olha, sendo 10 dias, eu dividiria a hospedagem com mais algum lugar no intuito de deixar os deslocamentos dos passeios mais curtos e otimizar a viagem. Talvez seja uma boa possibilidade colocar base em Bolzano, Ortisei e Cortina… 4 dias em Cortina e 3 nos outros dois, enfim. A divisão seria de acordo com o gosto de vocês mesmo. Pensa nessa nessa alternativa =)

  26. Obrigado, Dhebora!

    Poisé, não sei se ficar trocando muito de hotal tambem não cansa… teremos 10 dias antes na região dos lagos junto à Suiça (o que já dá uns 4 hotéis/alojamentos na viagem).

    Os lugares como Tre Cime, Seceda e lagos como o di Dobbiaco ficam muito longe partindo de Bolzano ou Cortina? Estes lugares podem ser acessados de carro, ou alguns o ideal é contratar um passeio com guia?

    Pelo Google Maps nada fica muito longe, mas já vi que as estradas são bem apertadas.

    Desculpa perguntar tanto, mas é uma região bem vasta. Aproveito para parabenizá-los pelo site! Não só ajuda com dicas, mas vocês escrevem com uma emoção que já nos contagia!

    • É, como vocês já virão de um roteiro com muitos hotéis, acrescentar mais trocas é algo que pode deixar a viagem cansativa, sim.
      Tre Cime e lagos como Braies e Dobbiaco ficam mais próximos de Cortina. Eu acrescentaria a parada em Ortisei para conhecer os lugares que ficam no meio do caminho, entre Cortina e Bolzano, como Seceda, Val di Funes, Alpe di Siusi, principalmente se houver trilhas nos passeios. E deixaria a hospedagem em Bolzano para conhecer as atrações da cidade e os arredores, como Lago di Carezza, Castelo do Tirol, Merano, vinícolas. Mas assim, sua divisão tá bem boa, tá? Foi apenas um pitaco sem ter a informação de que vocês já viriam de uma viagem com muitas trocas de hotéis rsrs…

      E muito obrigada pelo seu comentário carinhoso e incentivador! Nós escrevemos de coração, mesmo! rs

  27. Olá Dhebora, como vai?
    Eu e minha esposa pretendemos conhecer Dolomitas e temos 13 dias para ficar na região em agosto/setembro e nossa intenção além de conhecer a cultura e gastronomia local é fazer trekking por lá.
    Com relação às trilhas, você recomenda fechar com alguma agência/guia ou elas são possíveis de fazer somente com a sinalização que tem?

    Obrigado e parabéns pelos posts!

    • Oi, Alexandre. Tudo bem? Muito obrigada!!!
      Olha, não tem necessidade de fechar com agência não, a não ser que você pretenda fazer trilhas que envolvam escaladas e etc. Do contrário, todas são bem sinalizadas.

      • Oi Dhebora, amei seu post! Estarei indo final de maio para Dolomitas! Eu e meu marido ficaremos 4 dias inteiros! Estamos com dúvidas em que lugares nos hospedar para conhecer o máximo possível desses lugares incríveis! Você pode nos ajudar?
        Obrigada, Márcia

        • Oi, Marcia! Tudo bem?
          Dividir a hospedagem entre Cortina e Bolzano é uma boa opção. Dois dias em cada e dá pra vocês rodarem bastante!

  28. Olá! Boa noite. Parabéns pelo site. Quero fazer essa viagem para Itália e conhecer Dolomitas final de fevereiro. É Uma boa época para conhecer esses lugares com paisagens incríveis??? Especificamente Val di Funes.

    • Olá, Regis. Tudo bem? Nessa época a região estará cheia de neve, então, você pegará um cenário um pouco parecido com o que pegamos em Val di Funes. Se você gosta de neve, só vai! rs… beijos!

  29. Antes de tudo… Dhebora Parabéns!!! Pelo site e por este guia… Sensacional!
    Eu, esposa e filha, estaremos passeando na Itália em janeiro/fevereiro de 2024, e ao ver este post, já mudamos o roteiro. Dolomitas virou prioridade rsss…
    Final de janeiro pensamos em sair de Veneza e partir para as Dolomitas (pela época e neve a ideia não é pegar carrop e sim ir de ônibus).
    Depois das Dolomitas o roteiro é seguir de trem para Florença, Roma e subir para Milão (retorno para Brasil).
    Nosso projeto é curtir o frio e neve (e a atmosfera da região). Não temos intenção de esquiar.
    Onde ficar? Um local base só? ou dividir entre duas cidades? Para fazer os passeios (usando os meios de transportes disponíveis ou tours guiados)
    Uns 03 dias estaria bom?
    Objetivo lagos congelados, locais pitorescos, Carezza, neve… fotos… neve.. fotos… rsss

    Por fim… acredito que o retorno ao roteiro (caminho a Florença) seria via Bolzano correto?

    Obrigado! E desculpe por tantas perguntas rss

    • Olá, André! Tudo bem?
      Muito obrigada!
      Ficando poucos dias eu apostaria em uma base só, como Cortina d’Ampezzo ou Bolzano. Uma opção interessante seria adicionar mais um dia aí ao roteiro e ficar 4 dias na região, daí você poderia dividir a hospedagem entre Cortina e Bolzano. Isso pensando na questão de fazer o roteiro de ônibus ou tour, né? Diminuiria o deslocamento para os pontos turísticos. Em uma parte da viagem você priorizava o que fica perto de Cortina e na outra o que fica perto de Bolzano. Depois era só seguir para a Toscana.
      Quanto a questão da época, de ter neve e seguir de ônibus em vez de carro, isso não precisa ser uma preocupação. As estradas são boas e se você tiver condições de pegar um carro, é o melhor a se fazer.
      Beijos e boa viagem!

  30. Estarei de carro nas dolomitas entre 22 e 30 de abril de 2024. Nessa epoca pode haver ainda trechos interditados pela neve e já é possível fazer algumas trilhas? Vake a pena nesse período tentar acessar as montanhas como Seceda? Como já é primavera não faço ideia do nivel de neve que pode haver pelos locais.

    • Oi, Bruno!
      Acredito que se houve trechos interditados ainda pela neve serão aqueles bem mais no alto, em trilhas com maior dificuldade acesso. Nas trilhas mais comuns e populares essa época do ano costuma ser tranquila. Quanto ao nível de neve, o ideal é acompanhar como está sendo o inverno na região, se muito rigoroso ou não. Pelo o que temos acompanhado, não está tão rigoroso assim na Itália.

Write A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Carioca Sem Fronteiras