Rifugio 5 Torri - Giro delle Torri

Trilha nas Dolomitas – Como é o Giro delle Torri partindo do Rifugio 5 Torri

Uma porteira de madeira à esquerda da rodovia indicava o início da estradinha para o Rifugio 5 Torri. Assim que entramos de carro pela porta, fomos pegos por um cenário de filme. Estava tudo branquinho. Era um convite para pararmos e fotografarmos. E assim o fizemos. Mal sabíamos que essa era somente a primeira das muitas paradas ao longo do dia. Logo mais, o Giro delle Torri nos faria interromper o passo diversas vezes. Mas, tudo bem, sem problemas. Eu já deveria imaginar que não existe pressa em qualquer trilha nas Dolomitas.

Rifugio 5 Torri
Início da estradinha para o Rifugio 5 Torri, logo após a entrada na rodovia

Rifugio 5 Torri, vista panorâmica aos pés das montanhas

Talvez alguns pensem que é só mais um refúgio nas montanhas. Mas não. Não nos Alpes Italianos. Cada refúgio nas Dolomitas é único, com uma particularidade própria. Com um detalhezinho aqui e ali que faz dele diferente daquele outro que você já visitou ou que já leu sobre em algum lugar. O Rifugio 5 Torri tem a peculiaridade de estar aos pés das 5 Torri e por isso leva esse nome.

5 Torri
Uma parte das 5 Torri, vistas a partir da trilha que sai do Rifugio 5 Torri

Inaugurado em 1904, o refúgio já encanta antes mesmo de chegarmos na frente dele. O caminho um tanto quanto sinuoso faz os 10 minutos de trajeto da entrada, que fica na estrada principal, até o destino final virarem 20. Mas não somente as curvas e a cautela nos fizeram andar mais devagar. Todo o cenário já é incrível e prende os olhos. A sensação de estarmos dirigindo em um bosque cheio de neve e com montanhas ao fundo nos fazia querer parar novamente. A falta de um acostamento e o amor à vida nos fizeram continuar a viagem, mas ainda assim, algumas fotos foram feitas para registrar o momento. Nada comparado às memórias, é claro.


-> Veja também:
– Dolomitas, tudo o que você precisa saber sobre essa região dos Alpes Italianos
– Lago di Braies, um dos mais incríveis das Dolomitas e da Itália

Chegar em frente ao Rifugio 5 Torri é como um choque à visão. Estacionamento e mirante se misturam, de forma que nem é preciso perguntar onde é a melhor vista do lugar. Está tudo ali, bem na nossa frente. Logo me veio na cabeça o pensamento de acordar com essa vista, – quem me dera! Mas não em novembro, já que o refúgio só abre no verão. Para os sortudos que visitam o local nessa época, fica a dica de investir cerca de 65€ em um quarto duplo com direito a meia pensão. Ou então, de pelo menos almoçar os famosos ravioles que o restaurante do refúgio faz. Os mais afortunados podem ainda reservar um jantar nas alturas.

Vista do Rifugio 5 Torri
Vista incrível assim que estacionamos o carro

Mas esse não era o nosso caso. Estávamos ali para fazer o Giro delle Torri, uma trilha que sai de trás do Refúgio 5 Torri, contorna as 5 Torri e pode também seguir até o Rifugio Scoiatolli, entre outros caminhos. Então, nos contentamos em apreciar o visual e seguir conforme o planejado.

Giro delle Torri, trilha nas Dolomitas para ninguém botar defeito

Mal começamos a andar e já paramos novamente o passo. Por mais que já tivéssemos visto horizontes bonitos, era inevitável achar beleza também naqueles. De um lado, as montanhas, o vale e um pedacinho da estrada que havíamos percorrido, enquanto do outro, o paredão rochoso que nos lembrava o quão pequenos somos diante da natureza.

Ao longo da trilha, muita neve e atenção redobrada. O caminho não é difícil, mas o percurso beirando a montanha exigia atenção. Um pouco mais à frente, as 5 Torri nos dando boas vindas. A partir dali é necessário ter um pouco mais de olhos atentos. A trajetória pelo Giro delle Torri passa por dentro das torres, literalmente. São alguns metros de uma pequena subida que por algumas vezes, tinha uma pedra ou outra solta. Nessas horas sempre agradecemos por estarmos com nossas botas de trekking, ainda mais com o tanto de neve que tínhamos pela frente.

Giro delle Torri nas Dolomitas
O percurso Giro delle Torri é beirando as montanhas
-> Veja o que usar em lugares frios no post Inverno na Patagônia: o que vestir?

Passamos pelas torres e já avistamos o próximo ponto da nossa trilha. Faríamos um pequeno desvio no Giro delle Torri para alcançarmos o Rifugio Scoitalli e de lá, desceríamos novamente até o Rifugio 5 Torri. Faríamos.

Rifugio Scoiatolli
Rifugio Scoiatolli

Fomos pegos por uma neblina que não nos deixava ver um palmo à frente. Seguimos um pouco mais através do percurso Giro delle Torri mesmo, no intuito de achar um lugar mais seguro e mais tranquilo para esperarmos passar o momento de mal tempo e então, continuarmos com a caminhada. Mas, infelizmente, a montanha tem a sua vontade própria e precisamos respeitá-la. A neblina não cessou e continuarmos lá em cima poderia ser ainda pior.

Giro delle Torri
Neblina chegando com tudo

Decidimos fechar a trilha Giro delle Torri e seguimos em direção à descida. O Refugio Scoitalli ficaria para uma próxima, assim como as trilhas em seu entorno. Mas tudo bem, já estávamos felizes com o que tínhamos feito. Apressamos o passo e em pouco tempo estávamos de volta ao Rifugio 5 Torri. O tempo não havia melhorado nada e ao contrário do que esperávamos, estava ainda pior. Aproveitamos para fugir um pouco do frio e lanchar dentro do carro. Não havia mais vista, mas diante de tudo o que já havíamos visto naquele momento, não precisávamos de mais nada.

5 Torri
A sensação de estar nas montanhas é indescritível!
-> Confira outra trilha nas Dolomitas que vale a pena: Rifugio Auronzo e a trilha para Tre Cime di Lavaredo

Dica importante – Como chegar:

A melhor forma de chegar ao Rigufio 5 Torri é por conta própria, de carro. Como alugamos um carro através da RentCars para fazer a nossa roadtrip pelas Dolomitas não tivemos problema algum em relação ao deslocamento. O refúgio fica a 114 km de Cortina d’Ampezzo, onde estávamos hospedados, e a rodovia SR48, que liga Cortina até o início da estrada do refúgio, é tranquila e bem asfaltada. Vale ressaltar que essa estrada fica fechada nas três semanas centrais de agosto. Com isso, um serviço de transporte fechado é colocado à disposição de quem quer ir até lá. (mais informações aqui)

-> Dica de hospedagem: a melhor base para conhecer essa região é Cortina d’Ampezzo. Como a cidade é bastante turística, a oferta de hotéis é enorme. Por sua vez, os valores podem ser um pouquinho elevados, mas no Booking há vários lugares com um bom custo x benefício. Caso você procure algo mais barato, uma boa ideia é procurar hospedagem em San Vito di Cadore, uma cidadezinha que fica a 20 minutos de Cortina.

Em relação ao Giro delle Torri, como qualquer trilha nas Dolomitas, é necessário ter mente que você estará fazendo um percurso nas montanhas. Apesar de termos achado todo o trajeto tranquilo, o fato de ter neve exigiu um pouco mais de atenção, mesmo a gente tendo um certo costume. No entanto, todas as trilhas da região são bem sinalizadas e até mesmo no ponto mais alto da montanha você poderá achar uma placa indicativa ou algum tipo de sinalização.

♦PLANEJE A SUA VIAGEM♦

  • Reserve a sua hospedagem através do Booking e garanta as melhores tarifas. Fique tranquilo porque reservando através do nosso blog você não pagará nenhuma taxa extra. E além disso ainda nos ajuda a mantê-lo no ar, criando cada vez mais conteúdos gratuitos e de qualidade.
  • Alugue o seu carro com até 60% de desconto. Parcele no cartão de crédito sem cobrança de IOF pela RentCars. Além disso, todo o valor é gerado em reais.

Compartilhar

Dhebora Sancho

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *