Atualizado em 18 de julho de 2020

De longe parece um vilarejo da Suíça ou da Áustria. E de perto, também. Afinal, o idioma alemão é tão falado por lá que nem parece que estamos na Itália. O Val di FunesVillnöss em alemão – é um pequeno vale no Trentino-Alto Ádige, no meio das montanhas Dolomitas. E embora tenha apenas pouco mais de 80 km², é um dos lugares mais fotogênicos do país.

Val di Funes Santa Maddalena
Val di Funes na Itália

Val di Funes, na Itália

Bem perto da fronteira com a Áustria, o Val di Funes está numa localidade que também é chamada de Tirol do Sul, no Norte da Itália. Toda essa área montanhosa, que engloba diversos vilarejos além dos que estão no vale, fica nos Alpes Italianos, nas Dolomitas. Aqui você pode ler o nosso guia completo sobre as Dolomitas, na Itália.

Com pouco mais de 2 mil habitantes, o Val di Funes fez parte do Império Austro-húngaro até a Primeira Guerra Mundial, quando a Itália tomou essas terras. Por isso, você verá a influência austríaca em todos os lugares, desde a gastronomia até a arquitetura local.

Vilarejos do Val di Funes

O Val di Funes é composto por 6 vilarejos: Santa Maddalena, San Pietro, Tiso, San Valentino, San Giacomo e Colle. Destes, Santa Maddalena é o mais famoso e inclusive foi onde nos hospedamos, mas a prefeitura da região fica em San Pietro, onde você também encontrará restaurantes estrelados.

Entretanto, como o vale é pequeno, o deslocamento entre eles é muito fácil, principalmente se feito de carro.

Santa Maddalena Villnoss
Santa Maddalena

Igrejas, trilhas e refúgios de montanha em Villnöss

A fama do vale veio em conjunto com dois cenários extremamente fotografados nas Dolomitas. Se de um lado temos a Igreja de Santa Maddalena ao lado das casinhas do Val di Funes, do outro temos a Igreja de San Giovanni in Ranui solitária, mas imponente.

Igreja di Santa Maddalena Val di Funes
Igreja de Santa Maddalena

Em ambas, uma coisa é certa, o Maciço de Odle é o plano de fundo perfeito para todo o cenário.

Em todo o Val di Funes existem diversas trilhas pelas montanhas, entretanto, a mais procurada é a que leva diretamente até o Rifugio delle Odle.

Rifugio delle Odle em Villnöss

Dentro do Parque Natural Puez-Odle, o refúgio possui atrativos para todas as épocas do ano. No verão, é possível fazer diversos trekkings e circuitos de mountain bike nos arredores do Rifugio delle Odle. Por outro lado, no inverno você pode aproveitar as atividades de neve, que vão desde o esqui até caminhadas com raquetes de neve.

Além disso tudo, o Rifugio delle Odle também possui um restaurante especializado em culinária tirolesa. Ou seja, mesmo que você não queira fazer nenhuma das atividades, pode aproveitar para almoçar e apreciar o visual. Aliás, o cenário ao redor é lindo!

Rifugio delle Odle – Foto: https://www.geisleralm.com/

Para chegar até o refúgio você pode pegar uma trilha que sai do estacionamento da Malga Zannes, um restaurante de montanha, e que dura cerca de 2 horas. O caminho não é difícil, de forma que a maioria das pessoas o faz numa boa. Porém, se você possui algum problema de locomoção ou no caso de idosos, há um serviço de transporte disponível. Consulte o site oficial para mais informações.

Ski em Val di Funes/Villnöss

Além das atividades de esqui e neve no Rifugio Odle, há o teleférico saindo do centrinho de Santa Maddalena que te leva diretamente até a estação de esqui Bergstation, na Filler Ski Area. Basta colocar “Fillerlifts” no Google Maps que ele mostrará certinho onde se encontra o teleférico. Porém, como a vila é pequena, provavelmente você não o perderá de vista.

A área de ski de Filler é muito indicada para famílias com crianças e para quem nunca esquiou, ainda mais porque ela possui pistas mais tranquilas e escola de esqui.

Fallerhof Dolomitas
Início do teleférico à direita

Hospedagem em Santa Maddalena, no Val di Funes

Conforme falamos anteriormente, optamos por nos hospedar no vilarejo de Santa Maddalena. Como viajamos próximo do inverno, a neve já tomava conta de todo o local, então, foi a melhor opção para estarmos mais perto dos pontos que queríamos visitar sem ter a necessidade de andar de carro.

Val di Funes Villnoss
Varanda do hotel Fallerhof no Val di Funes

Ficamos na Fallerhof, uma hospedagem rural com vista para as montanhas e pertinho do teleférico Filler. A Igreja de Santa Maddalena se encontra praticamente atrás da guesthouse e a Igreja di San Giovanni in Ranui fica a pouco mais de 20 minutos de caminhada. Além do mais, o café da manhã servido foi maravilhoso, entrando fácil na lista de um dos melhores da viagem.

Outras sugestões são o Hotel Tyrol (4 estrelas), Hotel Fines (3 estrelas), a fazenda rural Proihof (muito bonita) e a Gasthof Fermeda (mais econômica).

Além disso, também há cabanas alpinas e apartamentos disponíveis para alugar na região no site do Airbnb. Para encontrá-los basta pesquisar por Villnöss ou Funes. Mas antes de pesquisar não se esqueça de pegar aqui o seu desconto de até 179 reais caso seja a sua primeira reserva na plataforma.

Onde comer em Villnöss

Como ficamos apenas uma noite no Val di Funes, conhecemos somente um restaurante. Fomos no Pitzock, no vilarejo de San Pietro. Foi uma indicação do nosso hotel que embora tenha sido excelente, precisamos avisar que os preços são mais elevados.

O Piztock tem uma pegada mais refinada e seu cardápio acompanha essa linha. Nossos pedidos foram um couvert da casa, com pães e pastas artesanais, e duas pastas a matriciana que estavam saborosas e bem servidas. Porém, a especialidade do restaurante é o cordeiro. E para acompanhar, também pedimos vinho. O total da nossa conta deu €51, pedindo os itens mais baratos da casa. rs

Como chegar no Val di Funes, na Itália:

Bolzano é a maior cidade próxima do Val di Funes e muitas pessoas fazem apenas um bate e volta até o vale, usando-a como base para a viagem. Porém, nós recomendamos pelo menos uma noite no Val di Funes para aproveitar o clima do local.

Em Bolzano há estação de trem com ligação para diversas outras cidades da Itália, assim como também há ônibus para locais ainda maiores como Milão, por exemplo. Aqui você pode ler tudo o que precisa saber sobre Bolzano.

A melhor opção para chegar no Val di Funes saindo de Bolzano é de carro, através da autoestrada A22. Aliás, alugar um carro é a melhor forma de conhecer e viajar pelos Alpes Italianos. Nós alugamos o nosso através da RentCars e fizemos um roteiro de 12 dias pelas Dolomitas. Como a empresa não cobra IOF e oferece o parcelamento no cartão de crédito, é uma boa opção para ajudar no orçamento da viagem.

Por outro lado, não há ônibus direto entre Bolzano e o Val di Funes, de forma que você deverá fazer uma baldeação em Bressanone.

Aeroporto mais próximo:

Na Itália, o aeroporto mais próximo do Val di Funes é o de Veneza. De carro, o trajeto até o vale dura cerca de 3h40min pelas autoestradas SS47 e A22/E45. Também há trem até San Pietro, porém, com a baldeação em Bressanone.

Em contrapartida, o aeroporto de Innsbruck, na Áustria, fica mais perto do vale, embora se encontre em outro país. De carro, de Innsbruck até o Val di Funes você levará mais ou menos 1h20min pelas autoestradas A13 e A22/E45, cruzando a fronteira. Também há ônibus entre os dois lugares, entretanto, há a baldeação em Bressanone.

Para comprar passagens de trem dentro da Itália, consulte o site da Trenitalia. Para passagens de ônibus na região do Tirol do Sul, consulte os sites Alto Adige Bus e o de transportes oficiais da região.

Continue a sua viagem pelas Dolomitas

Nós chegamos no Val di Funes após passarmos 4 dias em Cortina d’Ampezzo, uma das principais cidades alpinas das Dolomitas. Cortina é uma boa opção para você continuar a sua viagem pelos Alpes Italianos, assim como Bolzano, que está pertinho do vale e merece uma visita.

Caso você pretenda passar todos os seus dias hospedado no Val di Funes, reserve algum deles para conhecer o Lago di Braies, um dos mais consagrados nessas montanhas, e para ir até o Rifugio Auronzo e Tre Cime di Lavaredo.

Lago di Braies Dolomitas Italia
Lago di Braies

Além desses locais, o Alpe di Siusi, maior planalto da Europa, se encontra a menos de 30 minutos do vale e é um lugar maravilhoso para praticar esportes de neve e fazer trilhas.

Por fim, se perca pelas pequenas ruas de Villnöss, mas sem pressa, pois só assim você conseguirá captar toda a atmosfera deliciosa desse lugar.

Você também pode gostar dessas matérias:

Preciso de seguro viagem?

Sim, precisa, pois o seguro viagem é obrigatório para quem visita a Itália. Todo turista brasileiro deve ter um seguro viagem internacional com apólice de no mínimo 30 mil euros para entrar no país. Além da questão legal, o seguro te dará assistência caso você precise de atendimento médico emergencial, além de cobrir questões como extravio de bagagem e cancelamento de voos. Nós sempre contamos com a Real Seguros e eles oferecem descontos e facilidades de pagamento.

Pegue aqui o seu desconto de seguro viagem e parcele em até 12x no cartão de crédito =)

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
Instagram: @cariocasemfronteiras
Facebook: /cariocasemfronteiras

Autor

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

16 Comments

  1. Interessante ler sobre Val di Funes. Durante a minha viagem pela Áustria, eu passei perto quando fui de carro até Veneza. A cidade italiana seria o meu destino final. Numa próxima oportunidade, eu ficarei mais atenta às cidades de fronteira. Adorei as dicas!

  2. Val di Funes é um dos meus sonhos de destino! E eu simplesmente fiquei encantada pelo hotel Fallerhof. Queroooooo ir em breve!

  3. Eu sou MALUCA para visitar as Dolomitas e esse post do Val di Funes me deixou ainda com mais vontade! Amei as dicas e as fotos desse lugar maravilhoso da Itália.

  4. Estou vidrado na vista maravilhosa do Rifugio delle Odle. Que lugar maravilhoso esse Val de Funes. Não conhecia mas já vou colocar na minha lista de lugares para visitar na Itália!

  5. Que incrível esse lugar! Com certeza quero colocar Val di Funes no meu próximo roteiro pela Itália, que , pelo que estou vendo será praticamente para ver as paisagens da região norte do país. Cada vez que leio mais sobre fico com mais vontade de conhecer ! Demais!

  6. Estou apaixonada por Val di Funes!!! Sou suspeita, porque adoro uma paisagem montanhosa (especialmente com neve), mas esse lugar parece saído de um sonho! Já está na lista da próxima viagem para Itália!

  7. As Dolomitas estão na minha lista faz tempo e lendo o seu post sobre a região de Val di Funes fiquei bem animada para visitar logo que possível. Engraçado falarem alemão e que lindas as paisagens com neve!

  8. Uaaau! Val di Funes é simplesmente um espetáculo, hein? Como você observou, é um lugar muito fotogênico mesmo, não importa a estação do ano. Itália é um sonho!

  9. Mais um lugar lindo no meio das montanhas Dolomitas. Nunca havia ouvido falar no Val di Funes. Que lin-de-za! Estou encantada, sobretudo, com essa paisagem ao redor da igreja de Santa Madallena.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.