Dicas para economizar na europa

Como economizar na Europa? 11 dicas para a sua viagem ao Velho Continente

Ao decidir que sua próxima viagem será para o Velho Continente, provavelmente algumas questões começarão a surgir na sua cabeça. Como fazer os deslocamento internos? Quantos dias ficar em cada lugar? É seguro fazer os viajar entre os países de ônibus? Como comprar uma passagem de trem? Talvez perguntas como essas se tornem frequentes durante o seu planejamento. Mas se tem algo que realmente pode determinar todo o seu roteiro é o custo total da viagem. Pensando nisso, vamos te ajudar com 11 dicas de como economizar na Europa. Mas em primeiro lugar eu te adianto que elas não são leis, e você não precisa concordar com todas. Por outro lado, foi justamente por conta delas que reduzimos quase que pela metade os custos da nossa primeira viagem à zona do euro.

 

 

Confira 11 dicas de como economizar na Europa

 

1 – Tenha um bom aplicativo de passagem aérea no seu celular

Até parecer bobeira, mas ter um bom aplicativo de passagem aérea no celular pode reduzir e muito o custo da sua viagem e é por isso que essa é nossa primeira dica de como economizar na Europa.

Atacama
O que essa foto tem a ver com o tópico? Tudo! Foi a primeira grande promoção que aproveitamos. Pagamos 400 reais na passagem para Calama e conseguimos conhecer o Deserto do Atacama

Como a passagem costuma ser um dos itens mais caros da viagem, sempre que possível aproveitamos as promoções e os menores preços. O site que utilizamos para fazer esse acompanhamento é o Skyscanner. Através dele conseguimos colocar alerta de preços para um determinado lugar e também conseguimos ver quais as combinações de dia da semana onde o trecho está mais em conta. Além dele, existem outros sites que avisam quase que em tempo real quando uma promoção é lançada. O Passagens Imperdíveis e o Melhores Destinos por exemplo, fazem essa função e sem dúvidas também usamos eles.

 

2 – Procure outra forma de hospedagem

Que tal abandonar por um momento o bom e velho hotel e testar outro estilo de hospedagem? Se engana quem pensa que ficar em um hostel é sinônimo de perrengue. Além de existirem vários deles pela Europa, tem muito hostel melhor que hotel por lá. E embora a economia grande mesmo aconteça quando você aluga uma cama em um quarto compartilhado, há várias opções bem econômicas e super confortáveis até mesmo para quem busca um quarto privativo. Em Viena, por exemplo, nos hospedamos em um dos melhores hostels das nossa vidas. E além do nosso quarto ser quase um apartamento em si, ainda tínhamos disponível toda estrutura do lugar – que era sensacional, diga-se de passagem. Acrescenta-se a isso o fato de você socializar muito mais em um hostel do que em um hotel. E afinal, quem não gosta de fazer novas amizades, né?

Milhouse Hostel
No bar do Milhouse Hostel, Em Cusco, sempre tinha algum evento diário. É ótimo para fazer novas amizades!

Apesar de gostarmos de ficar em hostels, em alguns momentos vale mais a pena alugar um apartamento. Como esse também é um tipo de hospedagem muito comum por lá, essa é uma excelente forma de economizar na Europa. É possível encontrar vários deles através do AirBnb (aqui no blog você ganha um desconto de 130 reais quando se cadastrar na plataforma). Mas ainda assim, na maioria das vezes sempre acabamos alugando pelo Booking mesmo. Nada como efetuar o pagamento somente quando se chega no destino, né? rs. E ainda por cima, o Booking costuma cobrir o preço dos lugares caso você encontre mais barato em outro lugar.

Durante a nossa última viagem pela Itália, utilizamos apartamentos como forma de hospedagem. Para vocês terem uma ideia de como eles costumam valer a pena, em Roma ficamos hospedados em um com três quartos e super bem localizado. Os três dias em que ficamos na cidade não custaram mais de 1400 reais para 5 pessoas. Em Florença também ficamos em um apartamento quase que de cara para Duomo di Firenze e duas diárias não chegaram nem a 800 reais para as mesmas 5 pessoas. Portanto, vale muito a pena! Ainda mais se você estiver viajando em grupo. 

 

Pal's Hostel and Apartment
Olhem o tamanho desse apartamento em Budapeste! Isso é só o quarto, mas ainda tem cozinha, banheiro, salinha, tudo através daquela porta branca. Ah, ainda tem um mezanino lá em cima!

Ainda existem dois outros tipos de hospedagens que vêm ganhando força a cada dia. São eles: Couchsurfing e Worldpackers. O Couchsurfing é uma opção caso você não se importe em dormir no sofá de alguém. Em outras palavras, é uma plataforma de hospedagem onde você pode tanto pedir aquela caminha esperta for free, como também pode oferecê-la a outros viajantes. Embora ainda não tenhamos testado essa opção, pretendemos fazê-lo muito em breve e voltaremos aqui para contar a nossa experiência. Já o Worldpackers nada mais é do que trabalhar em troca de hospedagem. Ou seja, trabalhar no hotel/hostel, ONGs, projetos e até mesmo na casa de alguém. É muito comum ver esse tipo de trabalho em hostels, onde a galera trabalha na recepção, manutenção, entre outros, em troca de diárias.

 

 

3 – Faça a sua própria comida e seja best friend do supermercado

Já que procurar outras formas de hospedagens é um jeito de economizar na Europa, por que não fazer a sua própria comida? Tá, tudo bem… eu não estou falando de cozinhar em todos os momentos do dia. Porém, fazer algumas refeições no hostel ou apartamento certamente te renderá alguns euros extras para gastar com uma cerveja ou com uma festinha. Ou talvez com os dois. Ou então te possibilitará comprar algumas coisinhas no final da viagem. Sempre que podemos cozinhamos algumas das nossas refeições ou compramos alguns lanchinhos para comer durante o dia de passeio. E vou te falar quem em uma viagem longa isso faz uma diferença danada. Caso ainda assim você não queria cozinhar, seja amigo do supermercado. Alguns deles são tão completos que vendem até mesmo refeições já prontas. Você vai precisar somente aquecê-las.

Viena
Vale até fazer um lanchinho em um dos pontos turísticos de Viena

 

4 – Experimente a comida de rua local

Nada como um bom e velho podrão, certo? Então, que tal experimentar a comida de rua local? Uma boa forma de economizar na Europa é usar e abusar não somente de coisas que os locais comem, como também dos restaurantes onde eles comem. Kebabs, hot dogs, falafel, pizzas, entre tantos outros, são alguns tipos de comida de rua que você irá encontrar facilmente durante a sua viagem. E o melhor disso tudo é que eles costumam encher a barriga e são bem baratos. Porém, não espere encontrar muitas barraquinhas espalhadas pela cidade. Muitas vezes essas coisas são vendidas em lanchonetes mais simples. Mas ainda assim, são bem baratas.

Em Berlim, por exemplo, não deixe de experimentar o famoso currywurst. Você irá pagar uma bagatela de 3 à 5 euros e ficará bem satisfeito. Além de claro, ser algo super gostoso! Com toda a certeza você também irá comer alguma pizza em Roma, né? Pois saiba que algumas lanchonetes vendem fatias por 2 à 5 euros. Barato, não? Isso porque eu ainda nem falei dos Kebabs! #saudades. Esse famoso item da culinária turca e grega tem a fama de ser bem barato em toda a Europa. Você irá encontrá-los por 3 à 6 euros, dependendo do tamanho da sua fome. São bem baratos e ainda por cima são bem gostosos MESMO! haha.

Kebab na Europa
Olhem o tamanho desse Kebab! Ótima forma de encher a barriga e economizar na Europa haha

 

5 – Fuja das regiões extremamente turísticas

Eu seeei que deve ser lindo se hospedar de frente para a Torre Eiffel ou então para o Coliseu. Mas pense no quanto isso pode encarecer a sua viagem. A não ser que você escolha um local completamente no extremo da cidade ou então já praticamente fora dela, vale a pena investir em uma hospedagem que não fique tão de cara de para atrações turísticas. Digo isso porque tanto o metrô quanto o sistema de transporte em geral costumam funcionar muito bem na Europa. Portanto, não tenha medo se você tiver que pegar o transporte público uma ou duas vezes por dia. Ou então se você tiver que andar alguns minutos para chegar no centro da cidade. Caminhar pelas cidades europeias é uma delícia e além do mais, é uma ótima forma de economizar na Europa.

Trattoria Casalinga
A Trattoria Casalinga em Florença foi dica de um morador e uma das nossas melhores refeições na Itália

O mesmo vale para escolher um restaurante para almoçar ou jantar. Fuja das regiões extremamente turísticas e das ruas mais famosas da cidade. De certo, os lugares mais caros e mais conhecidos estarão por lá. Mas isso não faz deles os melhores e provavelmente aquela dica que você recebeu de algum morador pode ser bem melhor.

 

6 – Procure destinos menos cobiçados

Certamente os lugares mais famosos serão bem mais caros que os outros não tão conhecidos. Algumas capitais como Roma, Paris, Londres e Amsterdam estão na lista de desejo da maioria das pessoas que vão para Europa pela primeira vez. Se você não tem a fissura de conhecer esses lugares de primeira, opte por destinos menos visitados. O Leste Europeu, por exemplo, é infinitamente mais barato se comparado às regiões mais tradicionais. Mas se ainda assim você quiser muito conhecer os destinos mais cobiçados, tente reservar o dia de semana para conhecê-los. A diferença no preço da hospedagem costuma ser bem grande e será uma boa forma de você economizar em sua viagem para a Europa.

Castelo de Devín
Ruínas do Castelo de Devín na Eslováquia

 

7 – Fuja da alta temporada igual o diabo foge da cruz!

A alta temporada no continente é durante o verão europeu. Ou seja, nos meses de junho até boa parte de setembro. Isso que dizer que se você pretende economizar na Europa, possivelmente essa época não te ajudará. A não ser que você queira curtir os destinos de praia, evite marcar a sua viagem para o meio do ano. Opte por meses como março, abril e outubro, por exemplo.

Fontana di Trevi
Pensem em um lugar lotaaado… mas lindo! Fontana de Trevi é sempre cheia, mas na alta temporada… nossa haha

Durante os meses de janeiro e fevereiro o inverno chega com toda força no continente e é uma boa opção caso você queira esquiar. Nesse época também é comum os preços estarem mais baixos, mas veja se o frio e a neve não serão um empecilho para você. Nós, por exemplo, fizemos um roteiro de carro pela Toscana em pleno inverno e amamos da mesma forma. Enfim, o clima não foi um problema para nós. Mas talvez para você possa ser diferente.

 

8 – Aproveite os descontos e gratuidades

Em muitas cidades o primeiro domingo do mês reserva entrada grátis em vários museus. Entre tantas opções, o Louvre em Paris, a Galleria degli Uffizi em Florença, o Coliseu em Roma e o Museu do Prado em Madrid são apenas algumas delas. Porém, se prepare para a fila! Como a entrada é gratuita, esses lugares costumam ficar bem cheios. Portanto, a dica máxima aqui é cegar cedo.

Vienna City Card
Nosso Vienna City Card de 72 horas que nos dava direito ao transporte em Viena e descontos em atrações

Uma outra dica para economizar na Europa é aproveitar tanto os passes de transporte púbico como os passes de atrações. Algumas cidades oferecem opções que além de darem descontos nos transportes, também dão descontos em atrações turísticas e restaurantes. Nós já testamos o Berlin Welcome Card, o Vienna City Pass e o Roma Pass, e acho que os três valem a pena. A maioria das cidades também contam com os famosos Museums Pass, como é o caso de Paris. Nós nunca testamos, mas o Viaje na Viagem te conta porque esse tipo de passe vale a pena.

 

9 – Opte pelo ônibus tanto entre as cidades como entre os países

Que viajar de trem pela Europa é super fácil você já deve saber. Mas o que muitos não sabem é que fazer os deslocamentos de ônibus também é moleza, além de costumar sair bem mais barato. É claro que aqui você deverá colocar na balança preço x distância x conforto. Mas em nossa viagem pelo Leste Europeu nós utilizamos os dois tipos de deslocamento e o ônibus se saiu super bem!

Ônibus Flixbus
Ônibus da Flixbux

Várias empresas oferecem o serviço, mas nós testamos somente a Flixbus até agora e não tivemos problema nenhum. Utilizamos o serviço no trajeto de Viena para Bratislava e de Bratislava para Budapeste. A economia foi de mais de 20 euros por passagem. Ainda assim, também é possível encontrar passagem de trem por um ótimo preço caso você compre com antecedência.

 

10 – Pague antecipadamente a reserva do seu carro

Se você pretende alugar um carro na sua viagem, uma boa dica para economizar na Europa é pagar antecipadamente a sua reserva. Nos últimos tempos o euro não tem ajudado muito os viajantes, e por isso vale a pena não contar com o câmbio do cartão de crédito e muito menos com o IOF. Nós sempre fazemos a nossa reserva através da RentCars. Além deles mostrarem os melhores preços e locadoras, há ainda a opção de realizar o pagamento em reais, de forma parcelada no cartão de crédito e ainda por cima, sem o IOF.

Estrada na Itália

 

11 – Contrate um seguro viagem! É sério!

Apesar de muita gente não saber, é necessário um seguro com apólice de 30 mil euros para entrar no Espaço Schengen. Embora muitas pessoas se arisquem viajando sem ele, vou te dar dois motivos simples para você não fazer. Em primeiro lugar, é a sua saúde (e o seu bolso) que estão em risco. Caso aconteça algo com você, o sistema de saúde na Europa é caríssimo e você certamente terá uma dívida enorme se precisar usá-lo. Além disso, nunca sabemos quando uma emergência pode de fato acontecer. Em segundo lugar, como a contratação do seguro é uma exigência, o oficial de imigração pode te cobrar uma comprovação na sua entrada no país. Se você não tiver como comprovar, corre sérios riscos de não conseguir o visto.

Nós sempre compramos nosso seguro com a Seguros Promo. Para quem ainda não conhece, eles comparam os melhores seguros do mercado e ofertam os melhores preços e opções disponíveis. O blog dá um descontinho de 5% para quem usar o código CARIOCA5.

 

 

Compartilhar

Dhebora Sancho

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Checkbox GDPR / Regulamento Geral de Proteção de Dados do Usuário

*

Concordo / I agree