Atualizado em 30 de outubro de 2020

Cansaço extremo, falta de ar e um enorme mal-estar geral são apenas alguns dos sintomas do Soroche, o indesejado mal de altitude. Presente em muitas viagens que tem como destino regiões de altitude mais elevada como Cusco, Machu Picchu e Deserto do Atacama, ele costuma ser uma grande preocupação para a maioria dos viajantes.

Mas saiba que há como evitar o mal de altitude ou pelo menos amenizar os seus efeitos ao ponto de não estragar a sua aventura. Confira quais são os seus principais sintomas e como evitá-los.

Soroche: o que é o mal de altitude ou mal da montanha

O Soroche, como é chamado nas cidades andinas, ou mal de altitude (mal da montanha) é um mal-estar que sentimos ao enfrentarmos altitudes muito acima do nível do mar. Quanto maior a altitude, menor a pressão atmosférica e mais rarefeito é o ar. Ou seja, há menos oxigênio circulando e a nossa respiração se torna mais difícil.

Apesar das sensações mudarem muito de pessoa para pessoa, os sintomas são clássicos e facilmente identificados. Aliás, tem gente que sequer sofre do Soroche enquanto outras pessoas mal conseguem aproveitar a viagem.

Quais são os sintomas do Soroche

São muitos os sintomas do Soroche e eles também são bem incômodos. Dor de cabeça, enjoo, falta de ar, taquicardia, tonteira, sede excessiva e um cansaço contínuo são os mais presentes nos relatos dos viajantes.

Nós já sentimos todos eles, em situações diferentes, e numa boa, não desejamos isso para ninguém! Rs. Em um momento da nossa travessia pelo Salar de Uyuni a minha cabeça doía tanto que eu mal conseguia aproveitar o passeio. Por outro lado, em Cusco o Rafael passou tão mal no primeiro dia que achou que fosse desmaiar. 

Mas como já falamos anteriormente, dá pra evitar o mal de altitude, ou em casos mais extremos, pelo menos reduzir os seus efeitos. Então, foque nisso!

Como evitar o Mal de Altitude

Se você pretende visitar lugares de altitude elevada, algumas pequenas recomendações podem salvar a sua viagem.

  • Ouça o seu corpo e mesmo que ele peça mais atividades, descanse nos primeiros dias. É sério, não abuse dos passeios nos primeiros dias de viagem e faça uma aclimatação.
  • Evite o excesso de álcool e contenha aquele ímpeto de tomar uma cervejinha no primeiro dia do roteiro. Acredite, isso faz uma diferença danada! O Rafael passou muito mal em Cusco pois aproveitou as doses duplas do hostel logo no primeiro dia.
  • Evite alimentos gordurosos ou comidas muito pesadas logo no início da viagem.
  • Beba muita água. Muita mesmo!
  • Use e abuse dos chás de coca, folhas de coca e balas de coca. A coca não vai te dar onda alguma e é uma super aliada contra o Soroche. Aliás, tudo isso daí é lícito, tá, pessoal?
  • Faça atividades físicas antes da sua viagem. Sim, isso mesmo. Vença a preguiça e se condicione o máximo que você puder, principalmente se você pretende fazer trilhas na altitude. O sedentarismo é péssimo para quem vai enfrentar a altitude.
Chá de coca para aliviar o mal de altitude
Chá de coca para aliviar o mal de altitude

Remédios para o Soroche

Se a sua viagem é para destinos andinos da América do Sul, o Sorojchi Pills é um dos remédios mais vendidos para combater o mal de altitude. Se o seu mal-estar realmente estiver incomodando você pode encontrá-lo em muitas farmácias do Peru e da Bolívia.

Nas farmácias de Cusco, por exemplo, você também consegue encontrar o OxiShot, um pequeno cilindro de oxigênio que pode ser muito útil em trilhas como a Rainbow Mountain e Laguna 69.

No Brasil, o queridinho dos viajantes é o Diamox. Você pode tomá-lo cerca de 1 a 2 dias antes da sua viagem. No entanto, consulte o seu médico para escolher a melhor opção.

E se o os sintomas do Soroche não melhorarem?

Se você fez de tudo, mas os sintomas do Soroche não melhoraram, o ideal é procurar um médico. Nos casos em que o mal de altitude persiste e piora, há risco de edemas pulmonares e danos cerebrais. Então, não dê bobeira!

Por isso sempre batemos na tecla da importância de viajar com um seguro viagem internacional. Somente com um seguro você terá assistência médica emergencial sem ter que deixar seus rins como pagamento. Eu já precisei de atendimento médico de urgência no Deserto do Atacama e se não tivesse um seguro teria gastado mais de 6 mil reais entre consultas e exames.

Sempre fechamos os nossos com a Real Seguros e nunca tivemos problemas. Eles trabalham com várias seguradoras e oferecem diversos planos. Além disso, como são confiáveis, viraram nossos parceiros e oferecem desconto para todos os nossos leitores.

Pegue aqui o seu desconto de seguro viagem e parcele em até 12x no cartão de crédito =)

Soroche no Peru

No Peru, a 3.400 metros de altitude, Cusco é a campeã em termos de mal de altitude. 9 entre cada 10 viajantes sentem os efeitos do Soroche nos primeiros dias de viagem, nem que seja a dor de cabeça ou o cansaço extremo. Para vocês terem uma ideia, nós ficamos em um hostel e nos deram um quarto no segundo andar, sentíamos cansaço no simples subir de escadas.

Além disso, existem muitas ladeiras em Cusco, principalmente no bairro de San Blas, e é comum ouvir dos viajantes que se hospedam nessa área sobre a dificuldade e o cansaço em subir e descer todas elas. Para saber mais sobre hospedagem por lá, veja as nossas dicas de onde ficar em Cusco.

Por outro lado, em Machu Picchu dificilmente você terá muitos problemas. Ao contrário do que muitos pensam, a Cidade Perdida dos Incas fica em uma altitude bem menor que Cusco. Para muitos, é um alívio chegar lá! Haha. Confira aqui quanto custa uma viagem para Machu Picchu.

Machu Picchu Peru
Sem sofrer com o soroche em Machu Picchu

Mal de Altitude no Atacama

Se a sua viagem é para o Deserto do Atacama, recomendamos organizar bem o seu roteiro no Atacama, de forma que passeios como os Geysers del Tatio, Vulcão Lascar, Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas fiquem para os dias finais da viagem.

Nós sentimos bem pouco os efeitos do Soroche no Atacama e o máximo de sintomas que tivemos foi uma leve dor de cabeça. Porém, pessoas mais sensíveis podem sentir bem mais.

Geysers del Tatio
Geysers del Tatio

Mal de Altitude na Bolívia

Na Bolívia nós sentimos os efeitos do Soroche durante a travessia do Salar de Uyuni. Mas só nos sentimos mal durante o primeiro dia, principalmente após visitarmos a Laguna Colorada. Porém, mascávamos folha de coca o tempo todo. Outros lugares onde é muito comum as pessoas passarem mal são a capital La Paz e Potosi.

Enfim, se prepare para o mal de altitude e faça tudo o que puder para evitá-lo. Afinal, ninguém merece você ficar passando mal enquanto deveria estar aproveitando lugares maravilhosos! Ah, e não esqueça de garantir o seguro viagem! =)

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
– Instagram: @cariocasemfronteiras
– Facebook: /cariocasemfronteiras

♦PLANEJE A SUA VIAGEM♦

  • Confira a nossa página de descontos ativos e economize agora na sua viagem!
  • Reserve a sua hospedagem através do Booking e garanta as melhores tarifas. Fique tranquilo porque reservando através do nosso blog você não pagará nenhuma taxa extra. E além disso ainda nos ajuda a mantê-lo no ar, criando cada vez mais conteúdos gratuitos e de qualidade.
  • Reserve seus hostels através do Hostelworld e garanta a sua hospedagem nos melhores hostels do mundo.
  • Reserve uma casa ou apartamento através do AirBnb e ganhe até 350 reais em crédito na sua primeira reserva pelo site.
  • Compre seu seguro viagem com a Real Seguros e tenha os maiores descontos e as melhores formas de pagamento, inclusive parcelando em várias vezes no cartão de crédito
  • Reserve os melhores passeios e experiências com a Get Your Guide e com a Civitatis.
  • Alugue o seu carro com até 60% de desconto. Parcele no cartão e sem cobrança de IOF pela RentCars. Além disso, todo o valor é gerado em reais.
  • Viaje conectado! Compre seu chip de celular Viaje Conectado da Yes Brasil com internet 4G para usar no exterior.
  • Compre seus equipamentos fotográficos e roupas de inverno com a Amazon.
  • Compre seus ingressos antecipados através da Tiqets e evite filas nas atrações mais famosas do mundo.
Autor

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.