Atualizado em 10 de abril de 2020

Conhecer Machu Picchu é realmente mágico! Tá, eu seeeei que todo mundo fala a mesma coisa, mas a verdade é que o termo magia é o clichê mais certo para aquele lugar. Sabe aqueles lugares que você ouve falar e vê pela primeira vez na época de colégio? Então, Machu Picchu era assim para nós. O nosso destino principal para esse ano não era o Peru. Tínhamos outra viagem programada e por ironia do destino as coisas não saíram como planejadas. De repente a ideia de ir até Cusco nos caiu como uma luva. E estar lá, vendo aquilo tudo, é algo que realmente não dá para explicar.

Nossa ideia inicial era fazer a Trilha Inca, mas infelizmente não conseguimos vaga. Então, fizemos todo o trajeto de trem, com pernoite em Águas Calientes. De lá, acordamos cedinho e pegamos o ônibus oficial que leva até a entrada da cidadela. Toda a logística da viagem, assim como seus possíveis custos, se encontram detalhados em um post explicando quanto custa uma viagem até a Cidade Perdida dos Incas.

Ponto do ônibus para Machu Picchu
Daqui saem os ônibus para Machu Picchu. Claro que essa foto foi à tarde e não de manhã rs…

Machu Picchu, a mágica Cidade Perdida dos Incas

Chegamos em Machu Picchu por volta das 7 da manhã e ainda não havia fila nas catracas. Logo na entrada existem banheiros a custo de 1 sol. Há também guarda-volumes para deixar bagagem e mochilas por 3 à 4 soles. Inúmeros guias credenciados já começam a te abordar oferecendo o tour guiado pelas ruínas e os valores são tabelados: 60 dólares o casal para o tour privativo e 30 soles para o tour em grupo.

Terraços agrícolas em Machu Picchu
Muitos e muitos terraços agrícolas

Posso dizer que aqui foi o nosso momento extravagância da viagem. Fechamos o tour privativo e não nos arrependemos em nenhum momento. Com certeza a visita fica muito mais interessante quando você entende o que é cada coisa e como era o sistema de funcionamento da cidade.

OBS: antigamente não havia a obrigatoriedade de entrar com guia em Machu Picchu, no entanto, de acordo com as novas regras de visitação, isso se tornou obrigatório. Por outro lado, pessoas que voltaram de lá recentemente alegaram que ainda não há de fato esse controle.

Pedras incas em Machu Picchu
O guia me explicando alguns detalhes sobre as construções

Será que é Machu Picchu é tudo isso mesmo?

Machu Picchu, que em quechua significa “velha montanha”, é realmente tudo isso que nos falam e que a gente lê por aí. E você pode até não gostar de História, mas certamente ficará intrigado com a inteligência que o povo daquela antiga civilização possuía. E não será o primeiro e muito menos o único a se sentir pequeno perante toda aquela engenharia e arquitetura. Para vocês terem uma ideia, a cidade conta com um sistema subterrâneo de drenagem que funciona até hoje! Outra coisa interessante é que o sistema de construção feito através do encaixe de pedras permite que durante um terremoto as mesmas se desloquem sem que tudo desabe.

Colcas em Machu Picchu
Colcas: Locais de armazenamento.

História e funcionamento da cidadela

Machu Picchu somente foi descoberta em 1911 e encontra-se extremamente bem conservada. Tudo o que está lá é original ou então restaurado.Tudo isso porque os espanhóis nunca chegaram até ela. Não que eles não soubessem da existência de Machu Picchu, mas segundo o nosso guia, eles apenas não sabiam como chegar lá.

Caminhos incas em Machu Picchu
Detalhes pelos caminhos…

Diversas construções tomam a nossa atenção durante a visita: os detalhes da casa real do rei Inca, os templos religiosos, as praças, os relógios solares, o observatório astronômico, entre tantas outras. É incrível ver a perfeição e o detalhe em cada porta ou janela, por exemplo. Conseguem imaginar que naquele tempo os incas já construíam casas de dois andares?

Muito se discute sobre a verdadeira função da cidade. No entanto, dizem os arqueólogos que Machu Picchu funcionava mais como uma base administrativa. Ou seja, servia para supervisionar as regiões conquistadas e também como um refúgio para o Rei Inca.

Vista de Machu Picchu para as montanhas
Vista de Machu Picchu para as montanhas

Trilhas em Machu Picchu

Além dos circuitos tradicionais dentro da cidadela, existem outras opções de trilhas para se fazer dentro do parque arqueológico. A trilha para a Porta do Sol e para a Ponte Inca estão inclusas no valor do ingresso, assim como todo o passeio pela cidade de Machu Picchu. Somente Huayna Picchu e a Montanha Machu Picchu são cobradas à parte conforme explicamos no post sobre quanto custa uma viagem para Machu Picchu. Existem dois horários para subir Huayna Picchu: 7:00 às 8:00 e 10:30 às 11:30. Também existem dois horários para subir a Montanha: 7:00 às 8:00 e de 9:00 às 10:00. Como eles esgotam rapidamente, ambos devem ser comprados com antecedência no site oficial, assim como o ingresso para Machu Picchu em si.

Posto de controle para a subida de Huayna Picchu
Posto de controle para a subida de Huayna Picchu

Nós não fizemos nenhuma das trilhas que são incluídas no ingresso. Sorry. Até tínhamos nos programado para fazer, mas chegando lá ficamos apenas admirando, tirando fotos e passeando por toda aquela imensidão histórica…

Templo inca
Templos dentro da cidade

Nosso guia em Machu Picchu

Quem nos guiou em Machu Picchu foi o guia Simon. O trabalho dele foi excelente! Muito solícito em responder todas as dúvidas e até mesmo em tirar fotos nossas. Recomendamos!

Algumas dicas de Machu Picchu:

  • Aquilo é um sobe e desce danado. Vá com roupas confortáveis.
  • Não desanime se chegar de manhã e encontrar a cidade toda coberta por nuvens. Fé no sol que ele vai abrir!
  • Ganchinho básico da dica anterior: Protetor solar! O sol vai maltratar, pode acreditar!
  • Passe repelente para mosquitos. Lá tem alguns bem mutantes.
  • Banheiros e lanchonete somente do lado de fora do sítio arqueológico.
  • Respeite as sinalizações e não pague mico de ser “colocado pra fora da festa”.
  • Você pode comprar o ticket do ônibus em Águas Calientes nas próprias bilheterias ou em Cusco, no Interbak da Av. El Sol.
  • Carimbe seu passaporte ao passar pela porta de saída das ruínas.

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
Instagram: @cariocasemfronteiras
Facebook: /cariocasemfronteiras

Autor

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

17 Comments

  1. Que BOM que vcs não fizeram a trilha da Porta do Sol…rsrs
    Nós fizemos e eu quase morri! Não adianta, a altitude judia da gente.
    A melhor coisa é aproveitar o tempo e ficar ali, admirando e sentindo a energia do lugar, porque é o clichê mais delicioso do mundo!
    Excelente relato. Amei!

    • Dhebora Sancho Responder

      Sério? hahahaha… nossa, parecia ser tão tranquila! Ainda bem então hahahaha

  2. Não conheço Machu Picchu, aliás a América do Sul ainda não fui em nenhum lugar… Achei um destino bem interessante pelo seu post, e adorei as curiosidades…É o que faz diferença! =) Quando for, lembrarei das dicas. Ótimo post Dhebora! Beijoo

    • Dhebora Sancho Responder

      Sou suspeita pra falar da América do Sul… somos apaixonados pelos destinos desse continente! rsrs

  3. Dhebora, mais uma publicação excelente! Acho que essa definição clichê é, de fato, insubstituível!
    As fotos e o relato estão incríveis e, como sempre, muito bem escrito!
    Grande beijo.

    • Dhebora Sancho Responder

      Obrigada, Thiago!! Que bom que gostou do post! Beijão!

  4. Me sinto muito em falta comigo por não conhecer Machu Pitcchu até hoje. Seu relato me lembrou de incluir essa maravilhosidade nas minhas urgências de viagem. Adorei!

    • Dhebora Sancho Responder

      A gente se sente assim em relação a alguns lugares, né? Me sinto assim em relação a alguns lugares do Brasil rs

  5. viajei_compartilhei Responder

    Aaahhh que saudade desse lugar. É muito mágico mesmo. Lendo seu post lembrei do meu dia ai. A subia emocionante em Huayna Picchu…muito legal o texto.

    • Dhebora Sancho Responder

      Não conseguimos a entreada para Huayna Picchu… tristeza total rs… bom, temos motivo (além dos óbvios) para voltar!! Beijos!

  6. Ah que saudade desta magia cliche como disse!!
    Este lugar é incrível, e tem que estar no topo dos destinos de qualquer viajante!!!
    Valeu, reviver isso foi “bão demais”
    Abraço

    • Dhebora Sancho Responder

      Um clichê que não dá pra deixar passar, né??? beijos!

  7. Acho incrível esse lugar, sou doida para conhecer, mas morro de medo de passar mal, coisas de mulheres kkk… mas está na minha listinha, apaixonei nas suas fotos.. Lindaas!
    Parabéns adorei o conteúdo .. bjsss

    • Dhebora Sancho Responder

      Nos primeiros dias a gente até sente a altitude, mas depois nos acostumamos! Não deixa de conhecer não, Mariiiii!!!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.