Atualizado em 23 de julho de 2021

Dia após dia a trilha do Mirante da Cascatinha tem se tornado cada vez mais procurada no Parque Nacional da Tijuca. Também, pudera, já que seu caminho sem grandes dificuldades nos leva até um dos visuais mais bonitos da Floresta da Tijuca.

Nós a fizemos em um sábado de sol e gostamos tanto que nos questionamos o tempo inteiro o porquê de termos demorado muito tempo para conhecê-la.

Vista do Mirante da Cascatinha no Parque Nacional da Tijuca
Vista do Mirante da Cascatinha no Parque Nacional da Tijuca

O Mirante da Cascatinha no Parque Nacional da Tijuca

A trilha tradicional para o Mirante da Cascatinha tem 1,4 km de extensão, sendo a sua maior parte ao abrigo do sol. Além disso, ela é toda sinalizada e até mesmo as suas poucas bifurcações têm sinalização. Ou seja, é uma trilha tranquila e intuitiva, considerada de nível leve a moderado, dependendo do seu condicionamento físico.

Ao longo do caminho você passará por pontos interessantes do Parque Nacional da Tijuca, como a Capela Mayrink e a Cascatinha Taunay, que é a estrela da vista do deck de madeira do mirante. Além da cascata, você também terá um visual para o Pico da Tijuca, o Morro do Conde, o Andaraí Menor e toda a beleza da Floresta da Tijuca.

Aliás, uma curiosidade sobre o Parque Nacional da Tijuca é que apesar de muitas pessoas o citarem como a maior floresta urbana do mundo, o dono desse título é o Parque Estadual da Pedra Branca, onde fica a Cachoeira de Vargem Grande. Mas, vamos ao que interessa?

Como é a trilha do Mirante da Cascatinha

O caminho mais conhecido até o Mirante da Cascatinha é o que parte da portaria principal do Parque Nacional da Tijuca, próxima à praça Afonso Viseu, no Alto da Boa vista. Da entrada do parque você seguirá pela estrada até o início da trilha, que fica um pouco depois da Capela Mayrink. O trajeto é uma subidinha, mas nada que te fará colocar o pulmão para fora. Acredite! Rs…

Portaria do Parque Nacional da Tijuca
Portaria do Parque Nacional da Tijuca

Cascatinha Taunay

O primeiro atrativo desse roteiro é a Cascatinha Taunay, a maior queda d’água da Floresta da Tijuca. Seu nome é em homenagem ao pintor francês Nicolas-Antoine Taunay, um dos participantes da missão artística francesa que veio ao Rio de Janeiro em 1816.

Como sua água é usada para o abastecimento da cidade, não é permitido entrar na cachoeira. Porém, para a alegria geral da nação, há um poço logo abaixo da ponte onde o banho é permitido. No entanto, ele se encontra fechado nesses tempos de pandemia.

Como essa é uma das cachoeiras de mais fácil acesso no Rio, em épocas normais o poço costuma ficar bem cheio, principalmente aos finais de semana e feriados.

Capela Mayrink

Ainda seguindo pela estrada, você encontrará a Capela Mayrink. Construída em 1855, o seu altar possui réplicas de algumas telas de Candido Portinari. Hoje em dia, as originais podem ser vistas no Museu de Belas Artes. Todo primeiro domingo do mês há uma missa no local.

Capela Mayrink
Capela Mayrink

Ao andar um pouquinho mais pela estrada você verá à sua esquerda algumas placas indicativas de trilhas. É aqui a entrada para a trilha do Mirante da Cascatinha.

Entrada da trilha do Mirante da Cascatinha
Entrada da trilha do Mirante da Cascatinha

Mirante da Cascatinha

A trilha do Mirante da Cascatinha já começa com uma subida que se perdura por alguns minutos. Porém, não há obstáculos, degraus muito altos, ribanceiras ou partes que exigem algum tipo de técnica.

Ao longo do trajeto você encontrará algumas clareiras com troncos de árvores onde você poderá se sentar e descansar, caso seja necessário. E ao perceber que o caminho da trilha se tornou muito amplo, pode ter certeza de que o mirante está bem próximo!

Hoje em dia, pelo baixo grau de dificuldade, a trilha do Mirante da Cascatinha é muito procurada e por isso é comum encontrar uma fila para acessar o deck de madeira. Dessa forma, se planeje para chegar cedo no local.

Mirante da Cascatinha no Parque Nacional da Tijuca
Deck de madeira do Mirante da Cascatinha

Alto do Cruzeiro

No caminho de volta nós aproveitamos para entrar em uma das bifurcações e seguimos a trilha até o Alto do Cruzeiro. O lugar é um atrativo histórico da Floresta da Tijuca e foi construído pelos escravos, já que eles não podiam assistir as celebrações religiosas da Capela Mayrink.

Alto do Cruzeiro Parque Nacional da Tijuca
Alto do Cruzeiro

Outros roteiros de trilhas para o Mirante da Cascatinha

Há outros roteiros de trilhas até o Mirante da Cascatinha dentro do parque, por isso mencionamos que escolhemos o mais tradicional deles.

Quando as vias do Parque Nacional da Tijuca estão abertas para os veículos, você pode subir de carro até a área conhecida como Recanto dos Pintores, próxima ao Centro de Visitantes, e começar a trilha pelo outro lado, em direção ao restaurante Os Esquilos. Além dessa, há umas 2 ou 3 outras formas de se chegar no mirante. Nesse caso, vale a pena dar uma olhadinha no mapa do parque.

O que levar para a trilha

Embora seja uma trilha considerada tranquila, alguns itens são imprescindíveis durante o seu passeio. Por isso, coloque na mochila:

  • Lanche
  • Água
  • Repelente
  • Protetor solar
  • Um saquinho para recolher o seu lixo

Também não se esqueça de ir com roupas e calçados confortáveis, próprios para esse tipo de atividade.

Como chegar no Setor Floresta do Parque Nacional da Tijuca

Se você sai da Barra da Tijuca de carro, basta subir o Alto da Boa Vista pela Estrada das Furnas. Por outro lado, se você sai da Tijuca, o caminho principal é subindo a Estrada Velha da Tijuca. Em finais se semana e feriados, se certifique de chegar cedo para conseguir uma vaga na Praça Afonso Viseu ou no Postinho do Alto. 

Porém, se você pretende visitar o parque usando o transporte público, os ônibus 301, 302, 333 e 345 passam no local.

Funcionamento do parque durante a pandemia

O Parque Nacional da Tijuca está com o funcionamento limitado durante a pandemia, mas o Mirante da Cascatinha se encontra aberto. Está proibido o acesso de veículos no Setor Floresta, onde o mirante se encontra, e há a quantidade máxima de 2.000 visitantes por dia. O uso de máscaras também é obrigatório.

De qualquer forma, tanto as redes sociais do parque como o site institucional do local fazem atualizações frequentes sobre essas limitações.

Daqui pra onde?

Está de carro? Que tal estender o seu passeio até o Mirante do Joá ou até Praia da Joatinga? Ambos ficam apenas a cerca de 20 minutos do parque. =)

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
Instagram: @cariocasemfronteiras
Facebook: /cariocasemfronteiras

***PLANEJE A SUA VIAGEM***

Autor

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

2 Comments

  1. Olá,
    como posso ter acesso aos passeios bate e volta e valores? saem todos os dias? como funciona?
    Obrigada

    • Oi, Cassia. Tudo bem?
      No caso, no post sobre bate e volta tem apenas as dicas de destinos para fazer bate e volta saindo do RJ. Ele não é voltado para a venda de passeios. Porém, ao longo do texto, nós indicamos alguns passeios feitos por empresas. =)

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.