Atualizado em

Durante o nosso roteiro de carro pela Toscana, dois lugares que não poderiam ficar de fora eram Montalcino e Montepulciano. Como ambos ficam mais próximos de Siena, que foi uma das nossas bases durante a viagem, pensamos que um bom e velho bate e volta seria perfeito. E nosso pensamento foi certeiro, porque os dois lugares são incríveis e merecem uma atenção especial, ainda mais se você for um apreciador de vinhos. Isso porque as duas cidades são produtoras de alguns dos melhores e mais famosos vinhos da Itália.

Itália
Direita, esquerda ou ambos?

Montalcino e Montepulciano, dobradinha perfeita em uma viagem pela Toscana

Montepulciano

Além de ficar no alto de uma colina e ter uma vista incrível para o Val d’Órcia, Montepulciano é um típico burgo medieval, daqueles parecem cenários de várias histórias. Conseguem imaginar? Não sei se foi a arquitetura da cidade com suas casas e restaurantes exibindo uma construção em pedras que me encantou. Ou então se foi o fato de chegarmos por lá no início de uma manhã fria e chuvosa de inverno Europeu e encontrarmos um clima bastante bucólico. Embora praticamente tudo estivesse fechado, eu confesso que de cara achei toda aquela simplicidade encantadora.

Mas não espere inúmeras atrações turísticas em Montepulciano. Aliás, os pontos mais famosos do vilarejo podem até mesmo não mais existir depois de alguns goles. Em outras palavras, assim como em muitas cidades da Toscana, o vinho também é o grande astro desse lugar. E aqui se fazem presente o Nobile di Montepulciano e o Rosso di Montepulciano. Infelizmente acabei não experimentando nenhum deles in loco. Mas logo após constatar que ainda era muito cedo para encontrar uma boa cantina italiana aberta, – ou cedo demais para começar uma jornada etílica – resolvemos aproveitar algumas outras atrações do local.

O que fazer em Montepulciano além de aproveitar os seus excelentes vinhos?

Após estacionar o carro na entrada da cidade, subimos pela Via di S. Donato e fomos em direção a Piazza Grande, a principal praça da cidade. Próximo à Piazza se encontram o Palazzo Comunale (prefeitura), a simples e linda Duomo de Montepulciano toda feita em pedra e Pozzo dei Griffi e dei Leoni, que embora seja apenas um poço, rouba a cena por ali.

Piazza Grande Montepulciano
Piazza Grande, principal praça da cidade
Ao entorno da Piazza Grande

No entorno da praça existem algumas lojas e restaurante, mas como ainda era bem cedo, estava tudo fechado. Provavelmente muitos deles continuaram fechados ao longo do dia, visto que o inverno é baixa temporada na região. Em seguida, avistamos uma placa com indicação de um mirante e fomos em sua direção. Pelo caminho vimos algumas cantinas (também fechadas) e alguns pequenos e charmosos hotéis e pousadas. Ao chegar no mirante, aquela vista típica da Toscana nos esperava não tão limpa como já havíamos visto em fotos, porém, não menos bonita por isso.

Montepulciano
Uma pena que o tempo estava tão fechado

Ao final da caminhada, nada mal encontrar o jardim da Fortezza de Montepulciano. Obviamente, o forte estava fechado para visitação. Por isso, nos concentramos em andar um pouquinho por ali e apreciar o quão bem cuidado era o lugar. Com certeza deve ficar ainda mais bonito em um dia de sol e céu azul.

Fortezza di Montepulciano
Fortezza di Montepulciano

Por fim, resolvemos seguir viagem em direção ao nosso destino final. Nós queríamos chegar em Montalcino um pouco antes do horário do almoço, mas viajar de carro por uma das regiões mais lindas da Itália muitas vezes nos faz perder o horário. Aliás, de antemão eu já te aconselho a não se prender aos roteiros e parar pelo caminho quantas vezes achar necessário. E foi exatamente isso que nós fizemos, já que a beleza da viagem muitas vezes está no trajeto.

LOGÍSTICA DA NOSSA VIAGEM PELA TOSCANA

Fizemos o nosso roteiro utilizando Florença e Siena como base. Para essa parte da viagem optamos por ficar hospedados em um apartamento todo equipado e com um ótimo preço no centro de Siena e a partir daí fazíamos vários bate e voltas pela região. Fizemos toda a viagem com um carro alugado através da RentCars. Fizemos a reserva ainda no Brasil e não tivemos nenhum problema. Gostamos e indicamos a empresa pois é possível pagar de forma parcelada no cartão em alguns casos. E, além disso, eles dão o valor total da reserva já em reais, sem cobrança de IOF.

As paradas no caminho entre Montepulciano e Montalcino

Ao sair de Montepulciano nos demos ao luxo de parar em Pienza. Sim, essa parada já estava em nosso roteiro desde sempre. Afinal, não poderíamos jamais deixar de conhecer uma das jóias mais incríveis do Val d’Órcia. O que não estava em nossos planos era parar em um lugarzinho chamado San Quirico d’Órcia.

San Quirico d'Órcia
Muito amor por essa entrada da cidade!

Já que que a chuva fina nos impediu de conhecer de fato a cidade, não caminhamos muito além da sua entrada. Mas foi inevitável não fazer uma pequena parada para fotos em um dos seus portões principais. Bom, dizem que esse pequeno burgo também é um charme e tanto, e com certeza um dia voltaremos para a Toscana e conheceremos com mais calma todos esses cantinhos maravilhosos.

San Quirico d'Órcia
Olha que lindeza!

VOCÊ SABIA QUE O SEGURO VIAGEM É OBRIGATÓRIO PARA VISITAR A ITÁLIA?

Para visitar diversos países europeus, – basicamente os que fazem parte do Tratado de Schengen – é necessário ter um Seguro Viagem com apólice de no mínimo 30 mil euros. Caso contrário, você pode sim ficar barrado na imigração. Não vale a pena o risco e, ainda assim, não é recomendável viajar sem um seguro pois nunca se sabe o que pode acontecer, certo? Sempre compramos os nossos através da Seguros Promo. Eles praticam ótimos preços e parcelam no cartão de crédito. Explicamos tudo sobre o seguro viagem para a Europa no post Seguro Viagem Europa: é necessário? Quanto custa? Como comprar barato?

FAÇA A SUA COTAÇÃO E GANHE 5% DE DESCONTO COM O CUPOM CARIOCA5

Montalcino

Enfim, chegou o momento de conhecer a famosa terra do vinho Brunello e quiçá experimentá-lo também. Chegamos em Montalcino debaixo de muito frio e daquela mesma chuvinha chata que já nos acompanhava durante o dia. O vilarejo já impressiona pelo caminho, antes mesmo de chegar até a sua entrada. Do enorme estacionamento aos pés da cidade murada já dá pra ter uma ideia de como o lugar é sensacional. E claro, também já dá pra ter uma noção do tanto de ladeiras que devem existir por lá, já que a cidade fica lá no alto. Mas não era isso que nos desanimaria. Afinal, diante de tanta beleza é bem difícil ficar desanimado ou desapontado.

Montalcino
Primeira visão de Montalcino, ainda bem longe da entrada da cidade

Seguimos a pé por uma ladeira e, então, finalmente entramos em Montalcino pelo seu portão principal. A primeira imagem foi de uma enorme fortaleza rodeada por uma névoa e chuva, mas nada que tirasse a imponência da Fortezza di Montalcino, principal cartão postal da cidade. Além de caminhar por suas muralhas é possível provar o famoso vinho Brunello di Montalcino e se deliciar com algum quitute da enoteca que tem dentro forte. Nós não fizemos nem um, nem outro. Em dias de chuva a caminhada pelas muralhas é cancelada e também já havíamos combinado que nosso almoço seria em uma cantina típica da cidade. Da mesma forma, também não queríamos gastar muito e os preços eram elevados no local.

E o que mais fazer em Montalcino além de conhecer a Fortezza e beber um Brunello?

Pra mim, caminhar pelas ruas de uma cidade medieval é sempre um must do, independente de onde seja. Em Montalcino isso talvez até se torne um tanto quanto cansativo devido às ladeira, mas vale a pena demais. Entrar por cada viela e subir e descer as tantas ruas pode até ser um pouco difícil em um dia de chuva, mas a graça continua sendo a mesma. Caso também esteja chovendo no dia da sua visita, vale a atenção para não levar um tombo, já que essas pedras escorregam que é uma beleza.

Logo após conhecer a Fortezza, partimos para alguns outros pontos importantes da cidade. Passamos pela Catedral del Santíssimo Salvatore e caminhamos até a Piazza de Poppolo, principal praça da cidade. Chegando lá nos encantamos com o Palazzo dei Priori e sua Torre dell’Orologio. Quem diria que a prefeitura da cidade teria uma torre tão interessante quanto essa?

Palazzo dei Priorio Montalcino
Palazzo dei Priori e Torre dell’Orológio
Catedral del Santíssimo Salvatore Montalcino
Catedral del Santíssimo Salvatore

Andamos mais um pouco pelas ruas históricas de Montalcino imaginando o quanto de história esse lugar não guarda sobre a época em ficou no meio da briga entre Florença e Siena. Pelo caminho, inúmeras enotecas com degustações não só do Brunello, como também do Rosso di Montalcino e da Grappa. Com certeza eu não poderíamos sair de lá sem antes provar a famosa Grappa di Brunello. Se estava frio antes de prová-la, depois dela a temperatura deve ter subido uns 15º! Foi uma queimação danada depois do primeiro gole! haha. Isso porque a grappa é uma bebida fortíssima feita a partir da casca da uva. Me lembrou algo meio parecido com cachaça, porém mais gostoso.

Onde comer em Montalcino?

Lopo após uma degustação com alto teor alcoólico, um almoço seria a melhor opção de passeio, certo? Certíssimo! Procuramos um restaurante típico que não tirasse todos os euros que tínhamos no bolso, já que a essa altura já tínhamos gasto com algumas garrafas de vinho. Encontramos a Enoteca Bacchus e sem dúvidas foi uma excelente escolha.

Enoteca Bacchus
Parte interna da Enoteca Bacchus

Além do excelente atendimento de um senhor com a maior cara de Nonno, a comida era muito boa. Nós comemos uma das melhores lasanhas das nossas vidas pela bagatela de 7,50€. Ainda finalizamos o almoço com um belo de um Tiramissu com Chantilly, mas não sem antes degustar uma boa taça de vinho. Afinal, não é todo dia que se paga bem e barato por um vinho de excelente qualidade. E tudo isso por um precinho bem justo. Em resumo, a conta para 5 pessoas saiu por 80,50€, ou seja, super em conta para os itens pedidos. E nós saímos felizes da vida com o excelente almoço e passeio, digno de mais um dia na Toscana. Fechamos o tour com chave de ouro!

Enoteca Bacchus em Montalcino
Nossa conta detalhada

Onde se hospedar em Montalcino e Montepulciano

Se você ficou com um gostinho de quero mais e está pensando em se hospedar em Montalcino ou Montepulciano, confira abaixo uma lista com algumas sugestões de hotéis e guesthouses.

Em Montalcino:

Em Montepulciano:

  • Hotel Panoramic – Um dos hotéis com o melhor custo x benefício em Montepulciano. Fica a 2,5 km do centro.
  • ManillaHouse – Estúdio charmoso e bem equipado bem no centro da cidade.
  • Etruria Resort & Natural Spa – Resort e spa com mais requinte, a cerca de 1,2 km do centro.

♦PLANEJE A SUA VIAGEM♦

  • Reserve a sua hospedagem através do Booking e garanta as melhores tarifas. Fique tranquilo porque reservando através do nosso blog você não pagará nenhuma taxa extra. E além disso ainda nos ajuda a mantê-lo no ar, criando cada vez mais conteúdos gratuitos e de qualidade.
  • Reserve seus hostels através do Hostelworld e garanta a sua hospedagem nos melhores hostels do mundo.
  • Reserve um apartamento através do AirBnb e ganhe até 179 reais em crédito na sua primeira reserva pelo site.
  • Compre seu seguro viagem com a Real Seguros ou com a Seguros Promo e tenha os maiores descontos e as melhores formas de pagamento.
  • Alugue o seu carro com até 60% de desconto. Parcele no cartão e sem cobrança de IOF pela RentCars. Além disso, todo o valor é gerado em reais.
  • Viaje conectado! Compre seu chip de celular da Yes Brasil com internet 4G para usar no exterior.
  • Compre seus ingressos antecipados através da Tiqets e evite filas nas atrações mais famosas do mundo.
  • Reserve os melhores passeios e experiências com a Get Your Guide.

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
– Instagram: @cariocasemfronteiras
– Facebook: /cariocasemfronteiras

Author

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

2 Comments

  1. José carlos barreto jr Reply

    Bom dia!
    Em janeiro estarei por 5dias em Siena, utilizando-a como base para bate e voltas. Porém, estou em dúvida se alugo carro, mesmo esse sendo o meu desejo, pois o apartamento que aluguei fica dentro de uma area de ZTL. Fiz uma pesquisa de como me locomover sem levar multas, mas achei confuso.
    O que me aconselham?
    É mesmo complicado?
    Obrigado.
    Ah, e se utizarmos trem? Há essa possibilidade?

    • Olá, José Carlos! Tudo bom?
      Olha, carro realmente é a melhor forma de viajar pela Toscana. Vocês perderão menos tempo e poderão conhecer outros vilarejos que o trem não alcança.
      Em relação a ZTL, é necessário ter bastante atenção. Nós tomamos duas multas lá, por falha nossa mesmo. Minha sugestão é: confira se o apto que você alugou tem garagem. Caso sim, entre em contato com o proprietário e veja se ele consegue uma autorização para você transitar por aquela ZTL em específico (é o que a maioria do hotéis e aptos fazem). Um outro ponto para você verificar é que muitos aptos para aluguel que se encontram em ZTL possuem garagem, no entanto, ela não fica na propriedade, mas sim a uma certa distância, fora da ZTL. Esse foi o nosso caso em Siena… o apto oferecia garagem em um ponto onde o trânsito era livre. Caso ele não tenha garagem de nenhuma forma, você pode pedir indicação de uma dessas garagens. Há váaaarias delas em Siena.

Write A Comment