Atualizado em 10 de abril de 2020

O Vale Sagrado dos Incas é um dos passeios mais procurados pelos viajantes em Cusco. Repleto de história, ruínas e paisagens incríveis, não é a toa que ele é tão famoso. Afinal, você terá contato com alguns dos mais impressionantes sítios arqueológicos do império inca. Na nossa opinião, esse tour é indispensável em um roteiro por Cusco e por isso, vamos contar tudo sobre o percurso e dar algumas dicas para melhor aproveitá-lo.

Vale Sagrado dos Incas
Mirante com vista para o Vale Sagrado e para o Rio Urubamba (rio sagrado)

Vale Sagrado dos Incas: conheça-o antes de Machu Picchu!

Machu Picchu é a cereja do bolo. Isso é um fato. Conhecer as outras ruínas antes fará com que você aprenda certas coisas sobre a cultura inca que te farão ver a cidadela de outra forma. Fora que você vai se impressionando aos pouquinhos e termina os passeios com um grand finale na Cidade Perdida dos Incas. Vimos algumas pessoas que conheceram Machu Picchu antes do Vale Sagrado dos Incas e não se encantaram tanto assim quando chegaram no vale. Então, fica a dica para vocês!

VEJA MAIS PARA PLANEJAR A SUA VIAGEM:

-Saiba quanto custa uma viagem para Machu Picchu
-Tudo sobre o que fazer em Cusco: guia completo
-Confira onde ficar em Cusco unindo preço e boa localização
-Veja várias dicas de onde comer em Cusco

-Sugestão de roteiro em Cusco para 5, 6 ou 7 dias na cidade

Como é passeio pelo Vale Sagrado dos Incas

A região do Vale Sagrado dos Incas abrange cidades que ficam às margens do rio Urubamba, conhecido como Rio Sagrado dos Incas. Já havíamos visitado as Salineras de Maras e e as ruínas de Moray, e durante esse passeio passaríamos por Pisac, Ollantaytambo e Chinchero. No entanto, nós optamos por “abandonar” o tour em Ollantaytambo para pegar o trem para Águas Calientes e seguir para Machu Picchu (explicamos toda a nossa logística em um post sobre quanto custa uma viagem para Machu Picchu).

Vista de Pisac para todo o Vale Sagrado dos Incas
Vista das ruínas de Pisac para o Vale Sagrado

O passeio dura o dia inteiro e pode ou não incluir o almoço no estilo buffet liberado. No geral, as agências cobram em torno de 60 à 80 soles pelo passeio + 25 à 35 soles pelo almoço. Nós fechamos a opção mais barata para o almoço e fomos felizes. rs. Você pode tanto fechar o passeio em Cusco como comprar antecipadamente pela internet. A vantagem de comprar quando chegar na cidade é que você pode pechinchar os valores. Por outro lado, comprando online, antecipadamente, você já sai do Brasil com tudo resolvido e ganha tempo durante a viagem. Pela internet as opções mais baratas do tour não dão direito ao parcelamento, enquanto algumas mais caras permites o pagamento parcelado via cartão de crédito. Uma observação importante é que todos os locais visitados fazem parte do boleto turístico de Cusco.

Pisac – primeira parada do passeio pelo Vale Sagrado dos Incas

Antes de chegarmos de fato nas ruínas de Pisac foi feita uma parada no Mercado Artesanal de Pisac. Ali eles demonstram como diferenciar a prata verdadeira da falsa. Óbvio que depois te deixam com um tempo livre na loja e também para andar na feirinha de artesanato. Ou seja, a intenção é vender, como sempre. A feirinha contém as mesmas coisas das outras da cidade e pra um lugar turístico assim, até que não tem preços não muito diferentes.

A subida até Pisac é feita por uma estradinha sinuosa que rende belas fotos. Como as ruínas ficam bem no alto da montanha, o micro-ônibus do passeio te deixa em um ponto e de lá você deve seguir andando com o guia.
Pisac foi uma das principais cidades do império Inca. O local possui um enorme complexo agrícola em forma de terraços e crê-se que era ainda maior do que o mostrado nas fotos. Infelizmente, boa parte deles foram destruídos durante a colonização.

Terraços agrícolas em Pisac
Pisac e suas terraças agrícolas

Pisac além dos terraços agrícolas

As casinhas no alto da montanha se chamam “colcas” e eram os locais onde os alimentos eram armazenados. Elas possuem sistema de ventilação e até mesmo irrigação. Eram construídas em descendente, de cima para baixo, justamente para facilitar a entrada de ar. Enfim, coisas da engenharia inca que até hoje ninguém sabe explicar tamanho o conhecimento.

Ruínas de Pisac no Vale Sagrado dos Incas
Colcas lá em cima da montanha

Também foi em Pisac que descobriram o maior cemitério inca da região. Totalmente enterrado na montanha, só o encontraram porque durante um terremoto as múmias começaram a sair por aqueles buraquinhos da foto.

Cemitério Inca em Pisac
Cemitério de Pisac. As múmias ficavam enterradas nesses furinhos na montanha

Ollantaytambo: segunda parada e a ruína mais impressionante do dia

Pensem em um lugar grandioso com uma historia também impressionante! Além disso, pensem em um local onde você dá de cara com um paredão de ruínas muito bem preservadas! Por fim, imaginem a quantidade de degraus que você terá que subir para chegar até o ponto mais alto de Ollantaytambo! Enfim, é deslumbrante, cansativo, mas vale cada passo dado!

Ollantaytambo no Vale Sagrado dos Incas
Primeira vista para as ruínas de Ollantaytambo

Ollanta, como é carinhosamente apelidada, era um estratégico centro agrícola, social, religioso e militar do Império Inca. É impossível não se impressionar com suas muralhas e postos de controle ou então, seus megalitos (aquelas enormes pedras) que demarcam onde eram realizadas as cerimônias religiosas. E tudo ainda intacto até hoje em dia! Engraçado que a construção do local ainda não estava completamente finalizada quando os espanhóis chegaram, então, foi nesse sítio que os pesquisadores conseguiram obter muitas informações sobre como os incas viviam.

Parte das ruínas de Ollantaytambo

Histórias e curiosidades de Ollantaytambo

O tipo de rocha utilizado para construir a cidade somente é encontrado a quilômetros dali e nosso guia explicou que algumas somente são encontradas em montanhas. Ou seja, como os incas levaram tudo até a lá ainda é um mistério.

O lugar é cheio de histórias! Uma delas é que durante a conquista espanhola o local se tornou o refúgio do último rei inca. E foi graças a sua posição estratégica, por estar muito no alto, os incas jogavam pedras de lá de cima em direção aos espanhóis que estavam na parte de baixo, fazendo com que eles não conseguissem subir. Por isso que assim que você entrar no complexo arqueológico você verá várias pedras dispostas em um jardim. Dizem também que foi graças a essa batalha que os espanhóis não chegaram a Machu Picchu. Pela posição geográfica, Machu Picchu se encontra atrás de Ollantaytambo.

Rei Inca esculpido na pedra em Ollantaytambo
Dizem que quando o Rei Inca ganhou a batalha mandou esculpir seu rosto nas pedras…

4 – Chinchero: última parada do tour

Como expliquei no início do post, não chegamos a visitar Chinchero. Encerramos nosso passeio em Ollantaytambo para seguirmos de trem até Águas Calientes. No entanto, quem vai até também gosta bastante do local.

ONDE SE HOSPEDAR PARA FAZER O TOUR PELO VALE SAGRADO DOS INCAS:

Usamos Cusco como base para todos os passeios na região. Na cidade, ficamos hospedados em dois lugares diferentes, no Milhouse Hostel e na La Posada del Viajero. Ambos são muito bons, bem localizados e com o café da manhã incluído. Outra boa opção é o Hostel Pariwana. Entretanto, algumas pessoas gostam de ficar hospedados em Ollantaytambo e de lá conhecer o Vale. Se esse é o seu caso, confira todos os hotéis disponíveis na cidade.

Dicas práticas para conhecer o Vale Sagrado dos Incas:

  • Reserve um dia inteiro para fazer o passeio ao Vale Sagrado dos Incas.
  • Se possível, realize o passeio quando já estiver aclimatado com a altitude.
  • Ainda em relação à altitude, não esqueça de contratar um seguro viagem antes de viajar. Se por ventura você precisar de um atendimento médico, estará completamente coberto pelo seguro.
  • Se assim como nós você optar pelo trem em Ollantaytambo, certifique-se de comprar a passagem em um horário que você tenha folga para visitar as ruínas. O passeio chega em Ollantaytambo entre 15:00 e 16:00.
  • Não esqueça a dica de conhecer o Vale Sagrado e outras ruínas incas antes de conhecer Machu Picchu.

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
Instagram: @cariocasemfronteiras
Facebook: /cariocasemfronteiras

Autor

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

15 Comments

  1. Dhebora, excelente post! Super bem detalhado e com ótimas fotos. A dica de visitar o vale antes de Machu é fundamental para melhor aproveitar e compreender! Parabéns.

  2. Muito legal Dhebora! Nós estávamos de carro e conhecemos todos os sítios arqueológicos do Vale Sagrado.
    E eu super concordo com você: Machu Picchu é a cereja do bolo! Conhecer o Vale Sagrado antes faz com que a visita a Machu Picchu seja ainda mais incrível!
    Beijos!
    Adorei!

  3. esse post só me deixou com mais vontade de ir para o Peru! obrigada por essa dica, já está anotada e quando eu for, vou fazer primeiro o vale sagrado e depois Machu Picchu

  4. viajei_compartilhei Responder

    O Peru tem cada lugar e marca cultural. É realmente um país encantador. Achei muito legal a cara do rei nas pedras!rs.

  5. Como é lindo né Dhebora, acho esse lugar totalmente incrível e uma cultura fascinante. Peru é rico em história, tenho muita vontade de conhecer, mas só pensar na altitude eu acabo desistindo. Parabéns pelo post. bjs

  6. Amiga, o que tenho a dizer é: obrigada!
    Obrigada por compartilhar esse post lindo! Sinceramente, nunca tinha ouvido falar em Ollantaytambo (não sei nem como se pronuncia isso) e achei simplesmente lindo e fascinante saber mais da historias inca. As fotos ficaram lindas e me deu vontadinha de conhecer :O
    Parabéns pelo artigo. Adoro a maneira como você escreve.
    Beijos

  7. Dhebora,parabens pelo post. Gostaria de saber qual agencia voce fechou o passeio ao Vale Sagrado ?

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.