Atualizado em 5 de junho de 2020

A cerca de 20 km de Tiradentes se encontra a cidadezinha de Coronel Xavier Chaves. Apesar de pequena, ela guarda um ponto turístico que é o mais antigo do país, na sua categoria. Trata-se no Alambique Engenho Boa Vista, construído no Século XVIII e em funcionamento até hoje em dia.

Alambique Engenho Boa Vista em Coronel Xavier Chaves

Em funcionamento desde 1755, o Alambique Engenho Boa Vista não é famoso apenas por ser o mais antigo. Além disso ele pertence à família de Tiradentes, líder da Inconfidência Mineira. Desde então, de geração em geração, seus descendentes mantém a tradição e a mesma receita na produção da cachaça, mesmo após mais de 200 anos de existência.

O alambique ainda mantém suas estruturas originais preservadas e sua construção feita de pedras é considerada Patrimônio Histórico Nacional. Todos esses atributos fazem dele um ponto turístico interessante e muito visitado por quem passa por Tiradentes. Se você quiser mais dicas do que fazer em Tiradentes, clique aqui.

Alambique Engenho Boa Vista
Alambique Engenho Boa Vista

Visitação ao alambique

A visitação acontece todo sábado, das 10:00 às 12:00 e não é preciso agendar horário. Ao chegar, você pode até se assustar um pouco com a rusticidade da entrada e do ambiente externo do Engenho Boa vista, mas não se assuste! A visita vale a pena e inclui degustação.

Entrada do alambique

Quem nos recebeu foi Rubens Resende Chaves, o Sr. Rubinho, dono do engenho. No entanto, ficamos sabendo recentemente que quem tem sido responsável pelo local é o seu filho, Nando Chaves.

Rubinho é bisneto de Coronel Xavier Chaves, homem que deu nome à cidade, e descendente de Tiradentes. Xavier Chaves foi bisneto da irmã mais nova de Tiradentes e a partir daí vocês já conseguem imaginar quantas linhas de geração se passaram.

Alambique Engenho Boa Vista
Sr. Rubinho nos atendendo

Ele nos levou para conhecer as instalações da propriedade e fez questão de nos explicar como é o processo de produção da cachaça. Aliás, ele deixa bem claro que sua cachaça não tem vergonha de ser cachaça, já que ela não é envelhecida em barris de madeira.

Antigamente, o envelhecimento da cachaça produzida no Engenho Boa Vista era feito em tanques de pedra parafinados, mas hoje em dia acontece em recipientes de aço inox por determinação do Ministério da Agricultura.

A cachaça do Engenho Boa Vista

O engenho faz questão de continuar produzindo uma cachaça de forma parecida tal qual era na época em que nosso país ainda era colônia de Portugal.

A produção local é limitada a 30 mil litros por ano, porém, o alambique produz uma cachaça considerada uma das melhores do país: a Século XVIII. Além dela, outra muito aclamada é a Santo Grau.

Alambique Engenho Boa Vista
Degustação

Encerramos a nossa visita com uma degustação da branquinha do Engenho Boa Vista. E como não somos bobos, aproveitamos para comprar um pouco dessa história toda em forma de garrafa com um líquido dentro. rs

Como chegar

Para chegar ao alambique Engenho Boa Vista você deverá pegar a rodovia MG-383, em direção à Coronel Xavier Chaves. Porém, fique atento, pois no GPS ele aparecerá com o nome de Cachaçaria Século XVIII. O caminho é tranquilo e não tem erro. É bem fácil chegar lá, especialmente de carro. Caso você precise alugar um veículo, confira aqui as melhores opções.

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE EM TEMPO REAL =)
Instagram: @cariocasemfronteiras
Facebook: /cariocasemfronteiras

Autor

Carioca de nascimento. Educadora Física de profissão. Viajante de coração. Apaixonada pelas coisas simples da vida e intrigada pelas complexas. Costuma dizer que adora um sol, mas não dispensa os dias nublados.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.